Médico acusado de matar 25 pacientes por prescrição de analgésico

6/06/2019 00:39 - Modificado em 6/06/2019 00:39

A acusação torna-o no protagonista de um dos maiores casos de justiça contra um médicos nos Estados Unidos.

Foi detido, no Ohio, um médico que as autoridades acreditam que provocou, de forma intencional, a morte de 25 pacientes devido à prescrição exagerada do analgésico Fentanil.

A acusação torna-o no protagonista de um dos maiores casos de justiça contra um médicos nos Estados Unidos.

Apesar disso, William Husel, de 43 anos, alega inocência dos 25 crimes de que é acusado pelo Tribunal de Franklin County, defendendo que não era sua intenção matar ninguém. 

De acordo com a acusação, o médico terá prescrito doses de 500 e 2.000 microgramas de Fentanil, que terão encurtado a vida ou causado a morte de vários pacientes. 

Em dezembro de 2018, o médico foi despedido do sistema de saúde de Mount Carmel e a sua licença de trabalho foi-lhe retirada. Husel foi alvo também de uma investigação interna.

A Associated Press refere que duas dezenas de acusações contra o médico foram feitas, tendo muito delas sido arquivadas pelo hospital a troco de centenas de dólares. O Hospital acabou por admitir que este só foi afastado no inverno passado e que, entre o início das acusações e o seu afastamento, três mortes terão ocorrido durante esse período.

Como medida de precaução, todos os funcionários que trabalharam com Husel durante a administração dos medicamentos aos pacientes que morreram, foram afastados do seus serviços. Quarenta e oito enfermeiros e farmacêuticos foram reportados às suas respectivas diretorias profissionais, 30 dos quais foram afastados, e 18 deixaram de trabalhar em Mount Carmel.

Por Notícias ao Minuto

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.