Dia Nacional de combate ao Abuso e Exploração Sexual de Menores com actividades alusivas à problemática

4/06/2019 01:23 - Modificado em 4/06/2019 01:23

A ilha do Sal recorda a data com diversas actividades alusivas ao tema, entre elas uma “Operação stop abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes”, a campanha mais prevenção menos- improviso

As actividades que tem como objetivo, informar e sensibilizar sobre a problemática do Abuso e Exploração Sexual de Menores entre outros riscos de violação dos direitos das crianças e trabalhar na prevenção.

O dia 04 Junho, foi aprovado, por unanimidade, em finais de Maio de 2017, no Parlamento cabo-verdiano, como Dia Nacional Contra o Abuso e Exploração Sexual de Menores, dando seguimento a uma petição pública que reuniu mais de 12 mil assinaturas.

Igualmente, este dia evoca o Dia Internacional da Criança Inocente Vítima de Agressão.

O Dia Nacional Contra o Abuso e Exploração Sexual de Menores pretende “promover a reflexão, avaliação e tomada de decisões” sobre um fenómeno crescente em Cabo Verde e que afeta toda a sociedade.

A cada dia que passa, surgem notícias de crianças que são violentadas quer no espaço privado como no âmbito familiar, estas que deveriam ser protegidas e, por isso, apelou aos intervenientes a uma intervenção muito firme, sobretudo na prevenção, punição e qualquer outra forma.

A dimensão da violência contra as crianças não é totalmente conhecida. Por vergonha, medo ou inexistência de mecanismos adequados não é denunciada na sua verdadeira dimensão. Estes abusos sexuais contra menores representam uma enorme violação dos direitos elementares das crianças, segundo a organização não-governamental (ONG) Save the Children.

As raparigas são as principais vítimas de abusos sexuais, sendo também grande a percentagem de rapazes. Estes abusos, segundo dados avançados, decorrem sobretudo na ilha de Santiago, sendo que as ilhas Sal, São Vicente e Santo Antão registam uma tendência crescente.

Muitos consideram que é intolerável que qualquer crime deste tipo possa ficar impune. Os agressores são habitualmente o pai, o padrasto, o tio ou irmão ou ainda o vizinho, o amigo de família ou o padrinho.

O Dia Internacional das Crianças Vítimas Inocentes da Violência e da Agressão observa-se a 4 de junho. Longe de ser um dia de celebração, este é um dia de protesto, de luto e de reflexão. Todos os dias crianças são vítimas de agressão física e psicológica no mundo inteiro, inclusivamente dentro das suas próprias casas, sendo os seus pais os principais responsáveis.

Este dia relembra todas as vítimas infantis de afogamento, envenenamento, espancamento, queimadura, trabalho infantil e abuso sexual, mas também chama a atenção para a necessidade de proteção e de educação das crianças, que se encontram numa fase frágil, de construção de mentalidade, carácter e de valores.

Garantir um ambiente seguro e são para o crescimento das crianças é um dever dos pais, famílias, comunidades locais, professores, educadores, governantes e população em geral.

O Dia Internacional das Crianças Vítimas Inocentes da Violência e da Agressão foi criado pela ONU em 1982.

  1. Maria Fortes

    Alienação e irresponsabilidade parental. Até parece que temos uma patente e orgulhamos dela sobre esta matéria da alienação e irresponsabilidade parental Uma verdadeira epidemia. Uma tragédia cabo-verdiana. Está alienação parental, melhor dizendo a falta de responsabilidade duma faixa considerável dos pais cabo-verdianos (em especial a alienação por parte dos homens) é um problema que vai funcionar como um projéctil munido com um detonador retardado no seio da sociedade cabo-verdiana.
    Infelizmente a par de todas essas actividades festivas e lúdicas comemorando o dia da criança e merecidamente eu esperava da parte de sociedade uma manifestação de solidariedade para com as nossas crianças vítimas de todas a espécie de maus tratamentos, abusos sexuais, violência física e psíquica, humilhações, abandono, etc,etc,.
    Infelizmente um grande número dessas crianças está prematuramente condenada à delinquência. A nossa sociedade, escondendo atras duma cultura perversa, retrógrada e bastante permissiva nesta matéria, pretende simplesmente ignorar este problema com todo o seu impacto e todas as suas consequências gravíssimas cujas vítimas são as crianças que são vulneráveis e totalmente indefesas.
    Todos os dias deviam ser dedicados às crianças. Todos os dias deviam ser dedicados às crianças não apenas verbalmente mas também na sua plenitude e com práticas e comportamentos saudáveis que são da obrigação e responsabilidade dos progenitores e da sociedade em geral.
    É tempo de parar os com esses slogans românticos de ” crianças são flores da revolução” condenando energicamente e sem complexos este comportamento reprodutivo irresponsável e passarmos a acção ou seja assumir uma atitude e um comportamento digno de pais perante as indefesas crianças que muitos irresponsavel e egoisticamente trouxeram para este Mundo.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.