Final/Papalele: “Queremos ganhar este nacional para assinalar o centenário”

31/05/2019 00:25 - Modificado em 31/05/2019 00:25

O avançado dos Leões da Rua de Praia, Papalele, um dos destaques da equipa encarnada do Mindelo, procura no Sal a sua primeira conquista a nível nacional. Mostra-se empolgado e motivado para esta grande final com a Oásis, e diz que em ano de centenário a conquista terá sabor um especial.

Em declarações ao NN, o jovem diz que a equipa está a preparar este jogo com foco e muita determinação, porque o objetivo passa por trazer o “caneco” para São Vicente, por forma a homenagear todos os mindelenses. “Os nossos treinos são sempre árduos. Por isso não mudamos a nossa forma de treinar, porque para nós todos os jogos são encarados como se fossem finais”.

O jogador afirma que este jogo frente a Oásis será o mais importante de todos. Trata-se do título mais ambicionado da época desportiva. “Queremos dar tudo de nós para que estejamos mais fortes no jogo desta final” vinca.

A final perdida no Porto Novo, na época passada, frente à Académica da Praia, ainda é um espinho encravado na garganta de Papalele, que disputava naquela época a sua primeira final de uma prova nacional. Um espinho que o jovem quer desencravar agora no Sal, com a conquista do nacional.

“Esperamos imensas dificuldades. A Oásis, apesar de ser uma equipa nova nestas andanças, tem muitos jogadores experientes e já habituados a este tipo de confrontos. Não tenho dúvidas de que as duas equipas vão proporcionar um belo espetáculo de futebol” elucidou o atleta.

O camisola 10 dos Leões, somente se encontrou com os golos nesta edição da prova, nos dois jogos das meias-finais com o Onze Estrelas da Boa Vista, onde esteve em grande, contribuindo com dois golos e um assistência. Por via disso, o jogador chega com a moral em alta nesta partida. Mas enaltece que este estado anímico reina em todos os jogadores e equipa técnica do clube. “Queremos ganhar este nacional, porque para além de ser a primeira para muitos de nós, será no ano do centenário. A acontecer vamos ficar na história do clube” enfatiza.

Um dado curioso é que nos jogos disputados na ilha do Sal, a formação do Mindelense conta sempre com uma falange de apoio maior que a equipa da casa. Neste sentido, Papalele está confiante que a história se repetia e que as bancadas do estádio Marcelo Leitão estejam pintadas de vermelho.

Para aqueles que não conseguiram deslocar-se à ilha do Sal para apoiarem a equipa, o jogador deixa a vontade de todos os atletas em dignificar as cores do clube e que estejam com pensamento positivo. “Todos temos que estar com pensamento positivo. Todos vamos nos esforçar dentro do campo e dar tudo de nós para podermos levar a Taça para São Vicente” concluiu.

  1. Carlos Tavares

    Peca pelo tardio

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.