Comissão Política Regional do PAICV protesta pela falta de um Notário permanente em São Vicente

24/05/2019 00:21 - Modificado em 24/05/2019 00:21
| Comentários fechados em Comissão Política Regional do PAICV protesta pela falta de um Notário permanente em São Vicente
Alcides Graça, presidente da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV em São Vicente

Em conferência de imprensa, na manhã desta quinta-feira, a Comissão Política do PAICV posicionou-se contra a decisão da Direcção Geral dos Registros e Notariado, que deixa o cartório de São Vicente sem um notário permanente.

Segundo Alcides Graça, presidente da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV em São Vicente, esta já tinham alertado, em Setembro do ano passado, para “a situação caótica que se vivia nos serviços do Cartório Notarial e que na altura foi pedido um novo cartório para a ilha mas a Ministra de Justiça disse que não havia necessidade e que para isso seria necessário um estudo, mas que se iria reforçar esse serviço com um novo notário”.

Graça acrescenta ainda que a Ministra da Justiça, para além de não resolver o problema, “removeu o único notário que havia no cartório notarial da Conservatória de São Vicente, colocando-o como técnico nessa repartição pública” e colocou uma notária em regime de acumulação de serviço.

“Não só a senhora ministra não resolveu o problema, colocando um reforço como notário na região de São Vicente, como também deslocalizou o único notário que havia nesse cartório para a Conservatória de São Vicente”.

Graça questiona a Ministra da Justiça o porque do “ seu desmerecimento perante a ilha de São Vicente e o que esta, a ilha, fez para merecer esse tratamento. Será que São Vicente não é levado a sério? Os problemas de São Vicente nunca têm prioridade neste Governo? Onde está o bom ambiente de negócio prometido para Cabo Verde e particularmente para São Vicente?”

Para o presidente CPR do PAICV em São Vicente, “Se houver bloqueio no Cartório Notarial a ilha não funciona” e que devido a esse bloqueio, muitos advogados têm de se deslocar à ilha de Santo Antão para efectuar procedimentos notariais, porque em São Vicente “as coisas estão bloqueadas”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.