Valdir Santos: “Sofremos dois golos em casa mas tudo está em aberto para a segunda mão”

23/05/2019 23:46 - Modificado em 23/05/2019 23:46
| Comentários fechados em Valdir Santos: “Sofremos dois golos em casa mas tudo está em aberto para a segunda mão”

O homem golo do Onze Estrelas do Boa Vista, Valdir Santos, vive um grande momento no campeonato nacional de futebol, onde leva até ao momento 6 golos marcados. Dois desses golos foram apontados ao Mindelense na primeira mão das meias-finais, no empate a duas bolas, no passado domingo, na Boa Vista. Golos especiais frente há um grande de Cabo Verde, mas o jogador diz agora só pensar em bater o pé ao gigante e chegar à grande final da prova.

Esta é a terceira aparição de Valdir na prova maior de clubes em Cabo Verde. A primeira foi em 2013, curiosamente na época de estreia da equipa de Bofareira na competição, quando a equipa conseguiu alcançar o primeiro título de campeão regional da Boa Vista, mas não conseguiu ultrapassar a fase de grupos do CN. Em 2018 conseguiu nova proeza, desta vez ao serviço do Sal Rei, mas também as aspirações em seguir em frente na prova esmoreceram logo na fase de grupos, onde curiosamente teve como adversário o Mindelense.

Desta feita, a história está sendo contada de outra forma, porque Valdir leva seis golos na prova e o Onze Estrelas disputa neste momento as meias-finais da competição, frente ao Mindelense. A primeira mão, jogado em casa, podia ter corrido melhor para a turma de Bofareira pois cedeu um empate a duas bolas, mas Valdir teve o privilégio de assinar os dois tentos da sua equipa.

O jogador que ocupava a posição de defesa central no Sal Rei da Boa Vista, ocupa agora funções mais avançadas no terreno de jogo, seja como extremo ou avançado.  Para Valdir o percurso na competição tem sido “fantástico e espetacular”, porque a equipa tem se mantido “muita unida”.

Sobre os golos no nacional, onde neste momento é o segundo melhor marcador, logo a seguir a Patchik da Ultramarina que leva sete golos, o jogador diz-se contente por ajudar a sua equipa neste percurso, mas afirma que o segredo tem estado no trabalhado coletivo realizado pela equipa. “Esta relação com os golos é também fruto do trabalho  árduo que venho fazendo e que agora estou a colher frutos” sustenta.

Desses seis golos, dois foram apontoados frente ao Mindelense na primeira mão das meias-finais, o que representa para o jogador um motivo de grande satisfação, até porque como diz “não é todos os dias que se marca dois golos ao Mindelense”. Mas Valdir afirma que, quer voltar a marcar, agora no Mindelo, e assim ajudar a sua equipa a atingir a final.

Passado este momento de euforia, o jogador aponta que agora está focado somente em ajudar a sua equipa nesta difícil missão em Mindelo, para inverter o rumo da eliminatória que está a favor dos Leões da Rua de Praia, mas que acredita na passagem para a grande final. “Sofremos dois golos em casa mas tudo está em aberto para a segunda mão. Estamos confiantes para inverter a eliminatória, porque temos noventa minutos para isso e tudo é possível no futebol” aclara Valdir.

“Estamos a trabalhar na máxima força para este jogo. Sabemos que vai ser um jogo difícil. O Mindelense é uma das melhores equipas de Cabo Verde, mas vamos enfrentá-los com toda a garra e determinação” vinca o camisola 18 da turma de Bofareira.

Para Valdir o sucesso até ao momento deve-se ao facto da equipa do Onze Estrelas ser “ambiciosa” e tem sempre como objetivo chegar ao topo. Nisso, diz que tudo é possível se todos acreditarem e trabalharem pois estão a noventa minutos do jogo da final.

  1. Fernando Assis

    Golos especiais frente há um grande de Cabo Verde. Está errado. Diz-se-se: Golos especiais frente a um grande de Cabo Verde.

  2. Fernando Assis

    Golos especiais frente há um grande de Cabo Verde. Está errado. Diz-se: Golos especiais frente a um grande de Cabo Verde.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.