Vice presidente do Grupo parlamentar do MPD diz que o governo evitou o endividamento do país

15/05/2019 14:45 - Modificado em 15/05/2019 14:45
Assembleia Nacional |Foto: Expresso das ilhas

Durante a sua intervenção, Alcides Pina, Vice-presidente da Direção do Grupo Parlamentar do MpD, assegurou que o período de 2009 a 2016 foram os anos em que o país mais investiu em infraestruturas, a dívida mais que duplicou, passamos a fazer parte do ranking  dos 20 países mais endividados do Mundo, mas mesmo assim tivemos uma média de crescimento anual de menos 1%.

 Neste momento o governo está a trabalhar para solucionar “o que PAICV soube bem estragar. Foi assim nos anos 90 do passado século, está a sê-lo agora”.

Este, na sua intervenção, adianta que nestes três anos de governação, em comparação, aos anos anteriores, o país cresce 5 vezes mais, os municípios estão todos satisfeitos e não há lugar a discriminações e práticas de intransparências.

 E, ao contrário do que tem sido dito pela oposição, conseguiu-se manter a taxa de desemprego abaixo do valor encontrado em 2015. “E, se não fosse a severa seca dos últimos anos, estaríamos certamente às portas de uma redução abaixo de 2 dígitos e o crescimento do país ainda seria ainda melhor”.

No quadro do desenvolvimento regional, Pina acredita que hoje existem mais recursos para as regiões. “Temos todo o Cabo Verde a trabalhar, uma  promessa de campanha que estamos a cumprir. Novo modelo de exercício de poder, com mais diálogo, mais e melhor soluções de partilha de poder.”

Clarifica ainda que o governo está a resolver o problema de transportes marítimos, com a assinatura de um contrato de concessão no âmbito de um concurso internacional para permitir melhor mobilidade das  pessoas e bens em todas as ilhas. “A cobertura e frequência aumentarão significativamente”, diz.

Para Alcides de Pina, este Governo mudou e rompeu com o paradigma de assistencialismo do PAICV, partindo para uma nova abordagem, esta focada na dignidade da pessoa humana. Fez a economia crescer e funcionar na base do privado.

“Este Governo aumentou a massa salarial na Função Publica, com uma atualização salarial, aumento das pensões, progressões, promoções, em mais de 5 milhões de contos”.

Relativamente à TACV, o MPD diz que com a privatização da empresa, o Estado deixou de ser refém dos TACV. “Deixamos de pagar os tais 3 milhões de contos anuais e passar a receber e viabilizar a economia do país. Temos mais voos, mais passageiros, mais ligações entre as ilhas, mais know how, enfim, maior mobilidade e conexão entre as ilhas. Resolvemos o problema das evacuações e estamos a impulsionar de facto a indústria de turismo. Cabo Verde como líder na nossa sub-região”.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.