Governo diz que o Liceu da Várzea não vai desaparecer apenas vai ser deslocalizado

8/05/2019 23:35 - Modificado em 8/05/2019 23:35

De acordo com informação veiculada na página oficial do governo, na rede social Facebook, o futuro Liceu irá nascer na zona de Taiti, quando o estabelecimento de ensino da Várzea, o actual Liceu Cónego Jacinto, deixar de funcionar.

A mesma fonte esclarece, na sua publicação, que o processo de venda do terreno não é de hoje. “Foi socializado em tempos com a direcção do Liceu, com a Associação local “Black Panthers”, sempre com o envolvimento da Câmara Municipal da Praia e do Governo, o que culminou com a escolha da zona nobre do Taiti para a sua futura localização: atrás da estátua de Amílcar Cabral, bem perto da Biblioteca Nacional e do Auditório Jorge Barbosa”, informa.

Sobre a nova localização do Liceu Cónego Jacinto, trata-se de um projeto de 3 pisos, com uma área de 4.218 m2, 30 salas de aula, espaços de lazer, no qual serão construídos um polidesportivo de 1.192m2, parque de estacionamento para 14 viaturas, entre outras valências.

“A relocalização do Liceu Cónego Jacinto permite vocacioná-lo por aquilo que é o Ensino Secundário, ou seja, receber apenas alunos do 9º até o 12º ano”.

Mas mais, adianta o governo, vai permitir redimensionar a rede educativa na zona da Várzea e Terra Branca, onde vão ser requalificadas e ampliadas três escolas do ensino básico (1 na Várzea e 2 na Terra Branca) transformando-as em Complexos Educativos, que possam receber alunos do 1º ao 8º ano de escolaridade, passando estes a frequentar um estabelecimento de ensino na zona de sua residência.

Este é um processo que pode demorar no mínimo dois anos, conclui o governo.

Entretanto, as reações nas redes socias não se fizeram esperar. Muitos alegam que ao passar dos 12 000 m2 para pouco mais de 4, não chegaria para construir um complexo educativo.

E criticam a comunicação do governo que declarou que a “socialização do negócio deveria ter sido feita, com toda a população e não somente com a direção do liceu, Black Panter e Governo”. E que se “ a população soubesse dessas informações de forma atempada, evitar-se-iam muitos posicionamento, ás vezes extremados porque a população é pega sempre de surpresa”.

Posto isso, asseguram que o Ministério da Educação está a perder uma grande oportunidade de construir de facto um complexo educativo na referida zona. “Uma escola moderna com capacidade para responder os desafios da cidade da Praia que está em constante crescimento”.

  1. Joana Inês Sá

    Será que os mesmos americanos que compraram o Liceu da Várzea, custearão em troca o novo Liceu?

    Já repararam em algum hospital ou escola cabo-verdiana construídos aqui

    pelos americanos? Será que terá acontecido e eu não dei por nada?…

    Como diz o Pr. da UCID e bem, vender, descartar escolas é revelador e sintomático de

    como se encara a Educação em cabo Verde…

  2. Carlos Monteiro

    O liceu irá desaparecer de comunidade educativa de Várzea, passa para Taiti. É preciso que a comunidade de Várzea fique a saber isso. Ainda, perde um espaço enorme que em termos de dimensão era 12 mil e tal metros quadros quadrados, para quatro mil metros quadrados, que é muito diferente. O que está em jogo aqui, é negocio, porque Cabo Verde agora tonou moda. É vez de empresas, empresários e negócios. Afirmação do ministro das finanças Sr. Olavo Correia.
    Uma outra verdade que deve informar a comunidade educativa de Várzea, é que agora não se pode falar de complexo educativo, porque não existe espaço para efeito, mas sim uma simples escola para ludibriar a comunidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.