USV denúncia SG da UNTC-CS de violar os estatutos do Conselho Nacional

23/04/2019 14:04 - Modificado em 23/04/2019 14:04
| Comentários fechados em USV denúncia SG da UNTC-CS de violar os estatutos do Conselho Nacional

A União dos Sindicatos de São Vicente (USV), numa conferência de imprensa realizada na manhã desta terça-feira no Mindelo, denunciou a decisão tomada pela Secretaria-geral da UNTC-CS, de suspender vários sindicatos filiados, com quotas em atraso, garantindo que esta decisão para além de arbitrária, “extravasa a competência da Secretaria-geral”.

A USV através do presidente do Conselho de Disciplina da UNTC-CS, Júlio Fortes, condena esta medida e diz que foi tomada numa altura em que a maioria dos sindicatos (STIF, SISCAP, STAPS e o SICOTUR), haviam já solicitado e iniciado o processo de regularização das suas quotas junto da UNTC-CS.

Este sindicato, entende que por isso esta decisão “viola de forma flagrante os estatutos da UNTC-CS, para além de representar uma clara usurpação dos poderes do conselho Nacional, por parte da SG da UNTC-CS”, alegando que cabe ao Conselho Nacional e não a SG tomar estas decisões, que não são do seu foro.

“Os membros que integram as duas sensibilidades foram eleitos, democraticamente, no VII e último Congresso desta Central Sindical, pelo que todos têm a mesma legitimidade e o mesmo direito de participarem nas reuniões do Conselho Nacional, independentemente de os Sindicatos a que pertencem terem ou não a sua quota de filiação em atraso” aclara Júlio Fortes.

Para a USV, a única forma de resolver os problemas no seio da UNTC-CS é preciso obrigatoriamente a convocação de uma reunião extraordinária do Conselho Nacional, que é o órgão máximo entre os congressos, para resolver algumas questões que afectam neste momento a Central Sindical.

Entre outros pontos o presidente do CD da UNTC-CS, aponta que desde o VII Congresso da UNTC-CS realizado em Novembro de 2016, os principais órgãos desta central sindical, como sejam o Conselho Nacional e o Secretariado Nacional, praticamente não funcionam. A USV alega que desde o falecimento do Presidente da Mesa do Conselho Nacional, em Novembro de 2017, não se elegeu, até a data, um novo presidente, quando, estatutariamente, é este quem tem poderes para convocar e presidir às reuniões do Concelho Nacional.

Este vai mais longe e diz que decorridos mais de dois anos, após a sua eleição, a atual Secretária Geral nunca apresentou, ao órgão competente, que é o Conselho Nacional, as contas da UNTC-CS, para análise e aprovação. “Há dirigentes que são marginalizados e excluídos de participarem nas actividades da central sindical, o mesmo acontecendo com vários sindicatos filiados. No momento em que os trabalhadores mais dela necessitam, a UNTC-CS, sai de cena, deixou de ter uma presença forte, de ser uma voz activa, crítica e reivindicativa, enfim, uma força capaz de se impor e fazer-se respeitar no mundo laboral cabo-verdiano” assevera Júlio Fortes.

No entender de Tomás Delgado do SIMATEC, não se pode negar a crise existente na UNTC-CS, apontando que fruto disso é que os sindicatos não estavam pagando as quotas e nem participando das actividades, mas afirma que o facto de terem solicitado negociações para pagamento dos atrasados desde Janeiro “é um sinal claro para unificação e resolução dos problemas no seio da UNTC-CS”

Nisso a USV lança um apelo a todos os sindicatos filiados e a todos os membros que fazem parte dos órgãos atuais da UNTC-CS, no sentido de tomarem uma “posição clara e urgente, com vista a resgatar a UNTC-CS da situação em que a mesma se encontra actualmente”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.