Anildo de Jesus entende o desagrado dos mindelenses cujas zonas ainda não foram calacetadas mas diz que CMSV vai a todas as zonas

23/04/2019 00:24 - Modificado em 23/04/2019 00:24

O vereador do pelouro das Obras Municipais e Reabilitação Urbana, na autarquia mindelense, Anildo de Jesus, em alusão a notícia veiculada recentemente pelo NN, sobre os trabalhos de calcetamento levados a cabo pela edilidade no 1º trimestre deste ano a qual que gerou vários questionamentos  por parte  de moradores, principalmente das zonas periféricas da ilha de São Vicente, cujas zonas ainda não foram calcetadas diz compreender estas reivindicações, mas assegura que numa a ilha que está a crescer de dia para dia todas as zonas vão acabar  que ser contempladas.

Recorda-se que Anildo de Jesus referiu que até ao final do 1º trimestre deste ano foram efectuadas cerca de 40.000 m2 de calcetamento, o que representa aproximadamente 7 km de estradas, distribuídas em várias zonas do Município, levando-o a fazer um balanço “bastante positivo” desse período em questão.

De acordo com Anildo de Jesus, o Pelouro de Urbanismo e Reabilitação Urbana já procedeu ao calcetamento de diversas vias, entre as quais nas zonas de Sul do Cemitério, São Pedro, Ribeirinha, Tchetchénia, Chã Alecrim, Pedra Rolada, Salamansa, Espia, Fonte Francês, Cruz, Campinho/ Dji Sal, Cova-Monte Sossego, Chã Tiliza e no centro da cidade “Morada”.

Algumas dessas declarações parece que não foram do agrado dos moradores de algumas destas zonas e outras não mencionadas pelo Vereador. São essencialmente moradores das zonas de Ribeira de Julião, Ribeirinha, Fonte Filipe, Lazareto, Horta Seca, Madeiralzinho, Ribeira Craquinha e Chã de Vital que reclamam e questionam para quando uma intervenção desta natureza nas suas comunidades.

Ora, de acordo com o vereador, as localidades como Ribeirinha, que comporta muitas ruas, o processo é feito minuciosamente. Refere que neste momento estão com intervenções perto da Escola Primária de Jovino e Morro Branco, sustentando que estão com várias frentes de trabalho nessa zona.

Já em Horta Seca, aponta que a estrada está no inicio e que a intenção é ligar esta à estrada Sul Cemitério. Porém aponta que vão ter que esperar mais um pouco.  Salamansa e São Pedro são outras localidades que segundo o vereador estão a ser alvos de trabalho de requalificação urbana.

O vereador afirma que entende estas e outras reivindicações mas que a edilidade está com muitas frentes de trabalho abertas em muitas outras zonas, e que esta pretende atingir os 100% de zonas ainda neste mandato. Garantindo ainda que pouco ou muito todas as zonas vão ser contempladas. Assegura que um dos principais entraves que neste momento se coloca à edilidade, passa pela aquisição de pedras para a realização dos trabalhos. O fornecimento destas tem sido escasso para a procura existente, mas que todas as zonas estão inventariadas pela Câmara.

O vereador garante ainda que a CMSV tem em carteira um projecto para o futuro, voltado para o combate à construção clandestina, passando este primeiramente por chegar com as estradas calcetadas, com a rede de esgotos e eléctrica e depois a construção de habitações.

“O feedback sobre este tema tem sido positivo da parte da população. Temos que dividir a verba do orçamento para todos. Até a ponta final do mandato se tivermos uma boa produção de pedras vamos chegar a quase todas as zonas da ilha”.

Para breve, o vereador das Obras Municipais e Reabilitação Urbana, prevê o arranque das obras de asfaltagem da estrada de Ribeirinha, que segundo o mesmo carece há muito dessa intervenção. Em andamento está a estrada de Ribeira de Julião (Estrada da Lixeira) que se estenderá até Ribeira de Vinha, uma estrada complexa mas que segundo Anildo Jesus terá a sua conclusão.

  1. Justo

    E Baia das Gatas, porque o Jornalista não lhe pergunta para quando a sua requalificação, uma vez que, segundo o Preesidente da Camara, havia 150 mil contos disponiveis???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.