“Casamento” entre dois homens de São Vicente volta a reacender a polémica

22/04/2019 00:48 - Modificado em 22/04/2019 00:48
| Comentários fechados em “Casamento” entre dois homens de São Vicente volta a reacender a polémica

O casamento simbólico de dois  homens, no sábado, na ilha da Boa Vista volta a reacender o debate e a polémica à volta do casamento gay em Cabo Verde

Dois indivíduos do sexo masculino contraíram matrimónio, ontem, numa cerimónia simbólica na ilha da Boa Vista. A notícia do acontecido numa página de uma rede social reabriu a discussão sobre o direito ou não dos homoafectivos ao casamento civil.

De acordo com o site  Boa Vista no Ar os dois homens, naturais de São Vicente, escolheram a ilha das dunas para celebrar a sua união afectiva através e uma cerimónia simbólica dirigida por um amigo, numa das praias da ilha. “Na presença de amigos e dezenas de activistas e simpatizantes da comunidade LGBT”, os dois noivos carregaram ao invés de bouquet a bandeira arco-íris que simboliza a causa LGBT.

Nas redes sociais o debate conhece várias opiniões e como sempre dois lados: os que são contra e os que são a favor.

A notícia, ao que parece incomodou alguns e caiu na graça de outros. No entanto, é visível que esta é uma temática fraturante e que irá continuar sempre a dividir opiniões.

A legislação de Cabo Verde não permite e nem defende o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

E muitos são contra. Em declarações a este online, algumas pessoas exprimem a sua opinião sobre este facto. Muitos consideram algo normal, enquanto outros defendem que é inapropriado e que não é algo natural, e para sustentarem as suas afirmações, recorrem à Bíblia, enquanto outros vão pela parte biológica, a necessidade de reprodução, que é o de duas pessoas de sexo diferente casarem e construírem família, com filhos.

De acordo com uma internauta “testifico o meu testemunho de que o casamento é apropriado e aprovado por Deus e ele deve ser atribuído entre o homem e a mulher e frisa que a governação do homem tem falhado muito. “Apesar de receber poder, direito e o livre arbítrio, para constituir um mundo de bom, mas não em vez disso fugiram da inteligência, caíram no fel de amargura da concupiscência da carne e tem cometido muitos erros. E por isso no mundo a tantas coisas má no seio da humanidade”.

Outra refere que “Deus criou um Homem e uma Mulher e disse enchei-vos e multiplicai-vos a terra”, mas “nunca uniu dois homens nem duas mulheres para multiplicar a terra”.

Por outro lado, os defensores que não só apoiam a ideia do casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas também são da opinião que isso nem deveria ser discutido e que cada um, tem a sua vida particular e que ela não interessa a ninguém. “As pessoas não tem que aceitar ou deixar de aceitar nada porque cada um é dono do seu próprio destino, só têm que respeitar”.

“Cada um é responsável pelos seus actos e ninguém deveria opor-se a tal. Trata-se de ser ou não feliz. Quem quiser lutar pelos seus direitos, de construírem uma família de forma “legal”, e se isso vier a existir em Cabo Verde, então que seja”.

Muitos, no entanto, apesar de serem contra o casamento homossexual, defendem-se que não são contra viverem juntos, desde que respeitem as regras da sociedade.

O casamento é um ato formal, celebrado por um juiz, conferindo mais direitos e garantias do que a união.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.