Diocese do Mindelo condena atos de pedofilia em Salamansa e diz que o suspeito não é responsável da capela

18/04/2019 12:31 - Modificado em 18/04/2019 12:32

A Diocese de Mindelo numa nota de imprensa, enviada esta quarta-feira, 17 de Abril, esclarece alguns aspectos sobre o caso de pedofilia revelado esta semana na localidade de Salamansa. E que tem sido destaque de alguns jornais.

A Diocese do Mindelo condena, numa nota de esclarecimento, os casos de abuso sexual de menores, praticados, segundo a mesma fonte, por um membro da comunidade católica de Salamansa, e “não um responsável da Igreja como quiserem dizer as notícias”, e no entanto, diz-se chocada que alguns desses atos também tenham tido lugar nas dependências da Capela.

Por outro lado, lamenta “que as notícias sensacionalistas que se tem vindo a veicular sobre esta matéria, tenham como principal foco manchar a imagem da Igreja, semear a desinformação e não se preocupar com a verdade e muito menos com as pessoas envolvidas e vítimas”. Condena títulos como os publicados em jornais e partilhados nas redes sociais: “São Vicente: responsável de igreja detido por alegada pedofilia” e “Abuso sexual ensombra Diocese de Mindelo na Semana Santa,” só para citar alguns, referindo-se a eles como “maliciosos e tendenciosos, não revelando em nada, atitudes de quem lida com sensibilidade e dor e casos desta natureza”.

A Diocese do Mindelo diz condenar e denúncia veemente esta situação chocante para toda a comunidade e está muito empenhada em colaborar com todos aqueles que, com seriedade e sentido de justiça, levam adiante a defesa e a protecção dos menores. Um sinal concreto disso é a parceria e o nosso apoio à recente Rede PASM – Rede de Prevenção de Abuso Sexual de Menores, para onde se canalizou a nossa Renuncia Quaresmal do ano passado.


De acordo com a igreja, desde a primeira hora tem acompanhado com a máxima solicitude as vítimas e suas famílias, como seria razoável e mandam as orientações da Igreja, procurando ajudar estas a lidar com o sofrimento que tais actos causam nas pessoas vitimadas, à família, à comunidade local e à sociedade em geral. Infelizmente casos desses somam-se por tantas aldeias e ambientes familiares da nossa terra, e são muitos os traumas vividos por tantos jovens no seio de muitas famílias cabo-verdianas.

“Queremos também informar que, logo aquando do conhecimento do sucedido, foi a Igreja, através do Pároco e por indicação do Bispo de Mindelo, que tomou a iniciativa de comunicar às autoridades competentes: o ICCA, para o devido acompanhamento da situação e as coisas seguirem o seu trâmite legal”.


Sobre o alegado e confirmado caso de pedofilia praticado por um individuo na aldeia de Salamansa, espera que neste e em outros casos, haja gente com coração e determinação para ajudar a curar as feridas e ajudar as vítimas a recuperar a esperança e a razão de viver”, diz a nota.

“A Cruz faz parte da nossa história e estamos prontos para assumi-la mesmo quando é injusta. O mesmo se passou com Jesus, Aquele que nesta Semana Santa contemplamos na Cruz. A Igreja católica e os cristãos, um pouco por toda a parte, têm sido alvo de violentas perseguições, mas o motivo não se sabe porquê! Não nos deixamos abater perante as farpas que de vez em quando nos chegam.”

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.