Funcionárias da Frescomar levadas ao HBS por intoxicação

4/04/2019 00:34 - Modificado em 4/04/2019 00:34

Cerca de dez funcionárias da empresa Frescomar, localizada na Zona Industrial do Lazareto – Mindelo, foram atendidas no Banco de Urgência do HBS, após sofrerem ataques de tosse, forte mal-estar e dor de cabeça. Aconteceu depois de darem entrada às 16:30 no sector da produção dessa fábrica de  tratamento de pescado.

O caso aconteceu por volta das 17 horas de terça-feira (02), após o grupo de funcionárias começar o seu turno.

De acordo com informações recolhidas, elas estavam a trabalhar em pescado que iria ser enlatado. Foi quando se aperceberem do forte odor proveniente do peixe e, imediatamente, alertaram os responsáveis sobre o facto, questionando se deveriam continuar a trabalhar, uma vez que o aspecto não aparentava estar saudável. Mesmo assim foram compelidas a continuar o trabalho.

“Chegamos às 16:30 e fomos para o nosso posto de trabalho. Começamos a trabalhar numas cavalas que iriam ser enlatadas”, relata uma das funcionárias. No entanto, no decorrer do trabalho, na retirada do pescado das caixas para colocarem os mesmos nas mesas de trabalho, para serem “raspadas”, notaram um odor fétido, proveniente do pescado e também uma cor amarelada e alertaram os responsáveis sobre o estado do peixe. Nada foi feito e a ordem foi continuaram a trabalhar.

Entretanto, prossegue outra funcionária, pouco tempo depois de iniciarem essa tarefa, mais de uma dezena delas começaram a sentir-se indispostas. Primeiro foram atendidas no local e, posteriormente, encaminhadas para o hospital onde realizaram exames e foram colocadas sob observação.

Nenhuma das funcionárias apresentava um quadro clínico grave. Foram medicadas e receitados medicamentos. As mesmas estão expectantes sobre se a fábrica irá assumir as despesas médicas e medicamentosas. “O incidente aconteceu no local do nosso trabalho. Como tal…”, refere esta fonte.

Depois de receberam alta, as funcionárias acabaram por ficar de folga o que restava do turno, voltando ao serviço esta quarta-feira.

No entanto, apesar das tentativas feitas, não foi possível saber junto da Direcção Clínica do hospital o que poderá ter provocado a intoxicação, que segundo as vítimas, foi respiratória.

Portanto descarta-se a hipótese de intoxicação alimentar, já que este online sabe que cada funcionário leva a sua comida de casa.

Não conseguindo contactar a direção da empresa para obter mais esclarecimentos, tentaremos na próxima edição trazer a reacção dos responsáveis da mesma.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.