Tio e sobrinho libertados após 43 anos de prisão. Eram inocentes

1/04/2019 02:29 - Modificado em 1/04/2019 02:29
| Comentários fechados em Tio e sobrinho libertados após 43 anos de prisão. Eram inocentes

Foram julgados e condenados em apenas dois dias, por crime que não cometeram. Podem agora ser compensados até 1,78 milhões de euros.

Hubert Nathan Myers e o tio, Clifford Williams Jr., foram agora libertados, depois de 43 anos de prisão, depois de serem acusados por um crime que não cometeram. Agora com 61 e 76 anos de idade, tinham sido detidos com 18 e 34 anos, respetivamente.

Os dois homens estavam numa festa em Jacksonville, na Flórida, em maio de 1976, quando duas mulheres foram baleadas num apartamento vizinho. Uma delas morreu.

Ambos foram detidos, julgados e condenados a prisão perpétua. Esta última quinta-feira, aquele estado norte-americano anulou as condenações e libertou-os.

A mulher que sobreviveu ao ataque que colocou ambos os homens atrás das grades disse à polícia que tinham sido eles os culpados e que ambos tinham disparado dentro do apartamento, mas as provas mostravam que os tiros tinham vindo do exterior e provenientes da mesma arma.

A defesa de ambos não apresentou nem provas, nem testemunhas, mesmo várias pessoas tendo dito que estavam com os dois na festa quando ouviram os tiros. Ainda assim, o tribunal condenou-os, após um julgamento que durou apenas dois dias.

Mantiveram sempre que eram inocentes, mas passaram todos estes anos na prisão – faz 43 anos no próximo maio.

Só quando foi criada, em 2017, uma comissão dentro do Ministério Público do estado da Flórida, através do procurador estadual, para rever casos julgados. O sobrinho e o tio pediram que o seu caso fosse revisto. Pouco tempo depois, um relatório de 77 páginas provou que estavam inocentes.

Podem agora receber uma compensação até 2 milhões de dólares (cerca de 1,78 milhões de euros).

Por Notícias ao Minuto

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.