As tarifas dos voos internacionais e domésticos são um sufoco para a região norte do país

29/03/2019 01:10 - Modificado em 29/03/2019 01:10

Depois da atualização da tarifa  dos voos internacionais da Cabo Verde Airlines, e dos voos domésticos da Binter-CV durante o período de Abril e Maio, os internautas mostram-se revoltados com o que classificam de “um sufoco para a região norte do país.”

Todas as viagens internacionais, à exceção de Dakar, as tarifas ultrapassam os 70 mil escudos. São os casos de Lisboa e Fortaleza onde as tarifas estão altíssimas aos olhos das gentes do norte do país. Sem contar com os preços dos voos domésticos, adicionado aos custos das bagagens, em caso de ter mais do que uma mala.

As reações são variadas e muitos criticam esta situação que  afecta a região norte do País  num tempo que quem de direito “não quer assumir os custos da insularidade”  O internauta que se apelida como Carlos Cavaco defende que “ Temos de concordar e aceitar que o HUB AÉREO, o seu principal objetivo é servir aos viajantes estrangeiros, já que o nosso mercado é limitadíssimo, mas não é por isso que o Povo das Ilhas vai pagar, o que não deve! Também temos de saber que a CV Airlines deixou de ser uma companhia de bandeira, e que governo pouco ou nada pode fazer na gestão da empresa, embora desconheça as cláusulas do contrato da privatização dela. Diria privatização parcial já que são 51% -/49%. Por isso no meu ver ainda o Estado tem uma voz. Por achar que o Estado ainda tem uma voz, que o povo das ilhas não pode ficar penalizado e nem refém do HUB AÉREO. Neste caso, cabe ao governo encontrar soluções de equilíbrios entre as ilhas, já que somos um Estado Unitário e Insular.

O facto de sermos um País insular, na verdade dificulta muito!”  Os comentadores na página do Facebook do NN  defendem que  o governo deve assumir esse custo da insularidade “Sendo Cabo Verde de um país insular, o Estado deveria subsidiar as viagens, dependendo dos países, uns com 50% e outros 30%. Exemplificando o caso de Portugal onde há dezenas de anos que subsidia 50% dos custos das passagens aéreas das suas ilhas Açores e Madeira de e para o Continente. “

Júlio Cesar Lopes Leite  considera que em São Vicente tudo é mais caro, como são os casos de energia elétrica e água.”.

Por sua vez a comerciante, Cátia Alves, mostra-se indignada pois como expressa estão claramente a mostrar que não estão preocupados com o povo sãovicentino. “Isto é uma afronta que estamos a enfrentar, e que nem forças já temos, para continuar a mostrar o nosso descontentamento em relação a isso. Como comerciante, faz algum tempo que aguardo por um preço acessível de um bilhete para Fortaleza juntamente com as minhas colegas, e recebo esta bomba. Pergunto o que nós as mulheres empresárias de São Vicente, vamos  fazer com esta situação”

“Lamentavelmente essa situação, vai condicionar a ilha e também a região. Teimosamente quer os políticos e os militantes colocados a frente das empresas públicas prejudicam desta maneira uma região e ninguém faz nada para por cobro a essa situação. A disciplina partidária e o sim senhor acabam por fazer escola, no país. Quem viaja de borla são os políticos, que passeiam por Cabo Verde à custa do erário publico, daí o preço das passagens não os preocupar ” escreve João Cícero Ramos Gertrudes.

  1. TCHOTA DELGADO

    Boa, DJULAY. no tem k reveindica nos direitts p soncente e arredores. (Sintanton e S.Nicolau. p faze un viagem d lisboa p soncente, p alem del ser mut cor, te demora um tempao n sal ou Praia, paga otel, bagagem t fka pa traz ,. realmente eh um negoce p kex corrupts k te governa NOS TERRA. No tem k sei ne Rua e mostra nos descontentamente. Por iss k ex ka kre regionalizaçon pex pode fka te manda e kme dnher d povo . ex governantes

    . k pena ninguem d direito t spia ess coza. onde kex Deputados d Soncente? e so p ba kme dnher d povo?. ome PORRA. KAFRONTA EH ESSE? Obrigado Djulay Leite e tud k participa . Abraço deli d Madrid.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.