Cabo Verde fica no último lugar do grupo L e com registo desanimador

25/03/2019 00:05 - Modificado em 25/03/2019 00:05
Foto: Inforpress

A selecção cabo-verdiana de Futebol confirmou neste domingo o adeus à presença no Campeonato das Nações Africanas (CAN) deste ano, que se realiza no Egipto, isto após empatar em casa com o Lesoto sem golos, e da vitória da Tanzânia frente ao Uganda por 3-0. Cabo Verde terminou como lanterna vermelha do grupo, com cinco pontos.

O combinado nacional após falhar o CAN de 2017 viu-se de novo fora da prova maior a nível de selecções de África deste ano, após um percurso inglório no grupo L de qualificação onde ficou na última posição.

No jogo da última jornada frente ao Lesoto, somente a vitória interessava, mas a vitória por 3-0 da Tanzânia sobre o já apurado Uganda, retirou todas e quaisquer possibilidades de Cabo Verde, que nem sequer conseguiu vencer o seu jogo, onde teve muitas ocasiões de golo não concretizadas o que espelha o desacerto ofensivo no percurso dos “Tubarões Azuis” neste grupo. Apenas quatro golos marcados

Feitas as contas Cabo Verde somou três derrotas, com o Uganda (0-1), Tanzânia (2-0) e Uganda (1-0). Os “Tubarões Azuis” conseguiram apenas uma vitória no grupo, quando venceram, em casa, a Tanzânia por 3-0. O combinado nacional, somou ainda dois empates, precisamente, com o Lesoto.

Cabo Verde termina como um dos piores ataques do grupo com quatro golos marcados e a segunda melhor defesa com cinco golos sofridos. Um grupo que era considerado à partida teoricamente ao alcance dos cabo-verdianos, mostra neste momento a quebra que a selecção de Cabo Verde, que tem tido nos últimos anos no Continente Africano, onde atingiu o topo e a prova disso são as sucessivas quedas no Ranking Mundial e Africano.

Resultados:

Cabo Verde- Lesotho, 0-0

Tanzânia-Uganda, 3-0

Classificação final:

1. Uganda 6 jogos/13 pontos

2. Tanzânia 6/8

3. Lesotho 6/6

4. Cabo Verde 6/5

Ficha do jogo

Cabo Verde: Vozinha, Stopira, Fernando Varela, Carlos Ponk, Babanco “capitão”, Platini, Hélder Tavares (Nuno Rocha),   Jeffry Fortes (Wagner Gonçalves),  Ricardo Gomes (Júlio Tavares), Ryan Mendes e Djaniny.

Suplentes não utilizados: Márcio Rosa, Marco Soares, Rodrigo Lima, Gildo Monteiro, Garry Mendes, Élber Évora, Kélvin Pires, Nivaldo e Tiago Almeida.

Acção disciplinar: Babanco

Treinador: Rui Águas

Lesoto: Samuel Ketseklile, Mafa Moremoholo, Basia makepe, Bokamg Selo, tsoarelo bereng, Hlompho kalake, Sepirit Malenfane, Sera Motebanc, Tsoanelo Koetle, Tumelo Khutlang e Nkau Lerotholi.

Suplentes não utilizados: Monaheng Ramalefane, Kopano, Tsoanelo, Paul Jane, Setho, Moshoeshoe, Lesiathesane, Jane Ntso e Nikau Lerotholi.

Acção disciplinar: Cartão Samuel Ketseklile e Hlompho Kalake

Treinador: Moses Maliehe

Arbitragem: Mahamadou Keita (árbitro central), auxiliado por Baba Yomboliba e Nouhoum Bamba. Quarto árbitro  Gaoussou Kané , quarteto do Mali.

  1. Dje Guebara

    Esas porquerias sòmente com os nomes postiços mostram o bom que são eles. Vergonha deveriam de sentir que cada vez que jogan em casa se empatan ò perdem por uns parazitas com nome jugadores y não futebolistas. Umas “mrdas” que aparentam a ser o que não è parecem como uns macacos perdidos dentro de uma jaula. Em vez de chamar – Tubarões Azuis, deverm de chamar–los Macacos Azuis. Nome Confirmado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.