Taça de São Vicente: Falcões do Norte e CS Mindelense defrontam-se na final

20/03/2019 23:41 - Modificado em 20/03/2019 23:41

As equipas do Falcões do Norte e do Mindelense são as duas finalistas da Taça de São Vicente 2018/19, tendo-se qualificado esta quarta-feira, 20, ao derrotarem o Calhau e o Amarante, nos jogos das meias-finais da prova, em encontros disputados no Estádio Adérito Sena.

Na primeira partida, que opôs duas formações da segunda divisão, o Falcões do Norte conseguiu levar a melhor sobre o Calhau, vencendo por 2-1. Numa partida com um  futebol agradável de se ver, o Falcões adiantou-se no marcador logo aos 08 minutos de jogo, por intermédio de Papau. Aos 36 minutos de jogo foi a vez de Stipai fazer o gosto ao pé, dando aos verdes e brancos de Chã de Alecrim uma vantagem confortável de dois golos.

No segundo tempo, o Calhau veio com outra atitude querendo dar a volta ao jogo. Remeteu a equipa do Falcões para a sua defensiva, mas sem nunca criar grandes oportunidades de golo. Já em cima dos 90 minutos de jogo o árbitro do encontro, Carlos Lopes, marcou penalti a favor do Calhau, sancionando uma mão do defesa central Kamau, que jogou a bola com as mãos dentro da sua área, num lance disputado com Varela. O mesmo Varela chamado à conversão do castigo máximo não deu hipóteses ao guardião Giovanni. Os minutos finais foram frenéticos, onde o Calhau procurou a todo o custo o tento da igualdade, mas o Falcões esteve irrepreensíveis na sua defensiva.

No outro jogo da tarde que opunha o Mindelense, campeão da primeira divisão e o Amarante, líder isolado da “segundona”, o resultado sorriu aos encarnados da Rua de Praia, que venceram, também, por 2-1. Num jogo de líderes, o Mindelense marcou logo a abrir o jogo aos 09 minutos, através do homem do jogo Papalele, que converteu da melhor forma possível, um penalti a beneficiar os encarnados. De resto, numa primeira parte não muito bem jogada, estre foi o único lance digno de registo.

Já na segunda parte, aos 65 minutos, Armandim, viu o seu guarda-redes Nhô ser expulso, após o árbitro do encontro, Manuel Gomes, ter entendido que este fez falta sobre Larry, numa altura que o avançado do Mindelense seguia disparado para a baliza amarantina. À partir desta expulsão o jogo ganhou nova feição e as oportunidades de golo começaram a aparecer para o lado do Mindelense. Primeiro Lela e depois Makalele, tiveram as possibilidades mais flagrantes de dilatar a vantagem no marcador mas falharam.

Como se diz na gíria do futebol, quem não marca sofre e foi o que aconteceu. O Amarante, aos 75, viria a chegar ao empate, por intermédio de Vaduca, que tinha entrado minutos antes no jogo, aproveitando da melhor forma possível uma confusão na área encarnada atirou para o fundo das redes de Pól.

A pressão da equipa encarnada viria a dar frutos, não sem antes, aos 86 min, verem o seu lateral esquerdo receber ordem de expulsão. Os encarnados tinham pressas em resolver o jogo e foi ao cair do pano que apareceu, de novo e cheio de oportunismo, Papalele a dar o melhor seguimento a um cruzamento de Duck Morais feito com conta  e de cabeça atirou para fora do alcance do guarda-redes amarantino.

Estão assim encontrados os dois finalistas da Taça de São Vicente edição 2018/19. A final está agendada para as 15:30 do 06 de Abril.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.