Prédio inacabado na Avenida Marginal: quase duas décadas à espera de conclusão

19/03/2019 00:21 - Modificado em 19/03/2019 00:21

O que não falta na ilha de São Vicente, aliás em todo o país, são esqueletos de construções inacabadas e abandonadas.

É este o caso do edifício junto ao Hotel Dom Paco, na Avenida Marginal, que há muito que se encontra em construção e que durante muito tempo foi chamado de “hotel dos meninos de rua” e também um conhecido ponto de paragem de consumidores de drogas. Situação que foi contornada com o cimentar das portas e janelas, que permitiam antigamente a entrada e abrigo a muitas crianças e adolescentes que vivem na rua.

Por outro aldo, a Câmara Municipal de São Vicente afirma que se reuniu várias vezes com os proprietários no sentido de resolver a questão da paralisação da construção. Rodrigo Martins diz que é do conhecimento da edilidade a existência de propostas de interessados na compra do espaço, mas garante que a câmara vai continuar a trabalhar para que esta situação seja resolvida definitivamente. “É uma situação que já se arrasta há vários anos e queremos uma avenida cada vez mais atrativa e obviamente, não se coaduna com prédios inacabados”, expressa o vereador da CMSV.

Atualmente com as entradas obstruídas, fica apenas a imagem de abandono de um prédio projetado e com inicio de construção há vários anos e que nunca chegou a ser acabado. Aproveitando o facto de este estar abandonado, uma das laterais do local, serviu de mural para arte urbana, durante o Cabo Verde Ocean Week que também integrou uma série de intervenções na cidade do Mindelo em parceria com a M_EIA. Com pinturas feitas em vários locais, sendo uma delas, uma das paredes do prédio que ganhou uma nova cara. Mas a fachada persiste rude e tosca afectando toda a paisagem envolvente.

De acordo algumas pessoas que diariamente passam pelo local, dizem que durante à noite representa algum perigo, pois se torna um ambiente propício, apesar de situar perto de um hotel, para criar emboscadas para assaltos e também consumo de drogas, em plena avenida.

É habitual verem, à noite, grupos de pessoas sentadas no vão de escadas a fumarem. “O uso de drogas naquele local é algo constante e acontece há vista de todos os que por ali passam. Atualmente não conseguem entrar dentro do local porque taparam melhor as entradas com cimentos e grades de ferro, nas janelas no rês de chão e fica difícil o acesso”.

  1. C Lopes

    Que tal falar da Praia, Infraestrutura inacabada na Avenida Cidade de Lisboa que já la vão 400 mil a pagar pelos munícipes da capital.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.