Augusto Neves: “As receitas do Carnaval destinam-se aos Grupos Oficiais”

14/03/2019 00:27 - Modificado em 14/03/2019 00:27

O Carnaval 2019 foi o tema mais abordado na parte de tarde desta quarta-feira, 13, da 8ª sessão da 7ª legislatura da Assembleia Municipal. O edil Augusto Neves esclareceu que todas as receitas obtidas no Carnaval vão ser revertidas aos grupos oficiais, sustentando que estes acarretam muitas despesas ao longo do período carnavalesco.

Instado pela bancada parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), partido que sustenta a autarquia, a esclarecer o destino das verbas arrecadadas com a venda de bilhetes, durante a terça-feira de Carnaval, considerando ser um pedido expresso do povo, neste momento, Augusto Neves, foi perentório em afirmar que serão divididos na íntegra pelos grupos oficiais.

O edil sustenta que a aquisição das bancadas foi do foro da Câmara Municipal, cabendo à LIGOC-SV a gestão dos espaços. “Através de parceiros, entregamos a gestão dessas estruturas à LIGOC-SV. O Carnaval mindelense está cada vez mais exigente e os custos são cada vez maiores, face ao produto turístico que se quer vender. Por isso, os grupos têm muitas dívidas, pois pagam muito a pessoas envolvidas nas preparação, como é o caso das costureiras, músicos entre outros. Estas verbas vão ser bem empregues pelos grupos carnavalescos” vinca.

Neves afiançou ainda a confiança e agraciou o grande trabalho de voluntariado levado a cabo pelos elementos da Liga no carnaval, em todos os sentidos, o que permitiu haver, segundo o mesmo, um carnaval de grande nível. O edil, não obstante, entende que as pessoas possam criticar, mas pede a essas mesmas pessoas que apresentem ideias novas, ajudando assim a que, de ano para ano o carnaval seja melhor.

No entanto uma preocupação levantada pelos eleitos municipais de todos os partidos com assento na Assembleia Municipal, esteve voltada para as bancadas na Praça Nova, pedindo que para o próximo ano seja revista esta situação, no sentido de não serem construídas bancadas nesse espaço.

Ora, neste sentido o edil afirmou que, para o Carnaval 2020, não haverá a construção de bancadas na Praça Nova, avançando que com os trabalhos que vão ser realizados no decorrer deste ano, não irão permitir que isso aconteça, vincando que os mindelense terão assim mais espaço para assistirem ao desfile de carnaval.

Para o PAICV assim seria possível oferecer melhor comodidade às pessoas com menos condições, para assistirem o carnaval. A UCID, por sua vez, referiu que para eliminar este problema devem ser colocados ecrãs gigantes em pontos específicos da cidade para que as pessoas não tivessem problemas em assistir, em boas condições, à maior manifestação cultural da ilha. Já o MpD defende a colocação de instalações sanitárias em diversos pontos como forma de eliminar o problema do mau cheiro, que se verifica em algumas artérias da cidade, nos dias do carnaval.

Em termos de balanço da festa do Rei Momo 2019 em São Vicente, todos eleitos municipais teceram grandes elogios, ao trabalho realizado pela edilidade e pela Liga Oficial dos Grupos de Carnaval de São Vicente, augurando todos de que o ano 2020 o carnaval seja de excelência.

Os trabalhos foram, no entanto, suspensos para serem retomadas na manha desta quinta-feira, 14, onde vão ser analisadas, entre outras, a proposta de dar o nome de uma das ruas das cidade do Mindelo ao cidadão Nicolau do Rosário. Também vão estar em discussão a apreciação e homologação da proposta de delimitação das zonas, lugares e bairros de São Vicente e ainda a deliberação da abertura do concurso público de recrutamento de dez Policias Municipais.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.