População da Brava ameaça com manifestação de protesto devido a morte de parturiente

6/03/2019 15:18 - Modificado em 6/03/2019 15:18

Depois da morte de Mónica Santiago de 27 anos, que pereceu durante o procedimento de evacuação para a ilha do Fogo, na noite de sábado passado, os familiares e a população da ilha da Brava estão indignados com o que consideram ser um descaso das autoridades e ameaçam protestar com uma manifestação pública, no próximo sábado, 09 de março.

A população da Brava quer chamar a atenção do Governo e das demais autoridades do país, para que estes analisem a situação que a ilha está encarando, sobretudo a nível de transportes Inter-Ilhas. Por isso esta manifestação será sobretudo voltada pela falta de transporte de e para a ilha da Brava, particularmente para responder a casos de emergências, como a evacuação de doentes, que acontece com frequência.

Edília Gonçalves, irmã da vítima declarou à imprensa que nem ambulância havia para transportar a sua irmã, que acabaria por ser transportada para o porto da Furna numa viatura particular, oferecida pelo proprietário de um minimercado.

Por seu turno, num comunicado, a Delegacia de Saúde, declara ter feito tudo o que estava ao seu alcance para salvar a vida da parturiente e do seu bebé. Carlos Dias, delegado de Saúde da Brava, afiançou ainda que a parturiente não tinha antecedentes obstétricos e não era considerada uma grávida de risco.

Durante o parto, porém, Mónica teve complicações com paragem de progressão fetal e quando assim é a solução é a realização de uma cesariana. As más condições no trajeto Brava/Fogo, pesaram ainda mais o que acabou por complicar a situação, pois o barco teve graves dificuldades em atracar, só conseguindo na terceira tentativa, porém tarde demais para salvar a vida da parturiente e do seu bebé.

O Ministério da Saúde e da Segurança Social (MSSS), por sua vez, já avisou que vai avançar com uma auditoria técnica para apurar os factos relacionados com esta tragédia e assim imputar responsabilidades.Nas redes sociais é possível analisar o descontentamento da opinião pública perante esta situação e que prometem sair às ruas em massa para protestar contra esta e outras situações que segundo os mesmos estão a deixar a ilha numa “situação de abandono total”.

  1. Cidadão descontente

    Manifestam a vontade. Reenvendicam o vosso direito e façam com que a vossa voz seja ouvida. Essa situação é um descaso do governo atual, como tambem do governo cessante. Espero que o governo possa colocar a mão na consciencia e vereficar se algo util sai daí.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.