IGAE aprende medicamentos avaliados em cerca de 3 milhões de escudos

27/02/2019 14:27 - Modificado em 27/02/2019 14:27

Uma intervenção planeada há já alguns dias e que contou com uma equipa multidisciplinar de fiscalização – Inspeção Geral das Actividades Económicas (IGAE), Direção Geral de Farmácia, ERIS, Delegacia de Saúde e a Polícia Nacional, foi apreendida numa loja de produtos naturais-ervanaria, na ilha de São Vicente, mais de 15000 unidades de diversos produtos.

Numa nota publicada na rede social Facebook, a IGAE informou que entre os medicamentos constavam amoxicilina, albendazol, metronidazol, clopromazina, mebendazol, indometacina, fluconazol, com valores ainda por apurar.

A mesma acrescenta que estes medicamentos são de importação ilegal e de comércio ilegal. “No estabelecimento também foi encontrado uma máquina de uso médico não autorizado, que servia de base para consultas médicas”.

Também, na ervanária foram encontradas dezenas de produtos eróticos. As apreensões estão avaliadas em cerca de 3 milhões de escudos.

Ainda na última semana, a IGAE encerrou seis estabelecimentos comerciais em São Vicente, por não apresentarem as condições de higiene exigidas, pondo em causa a saúde dos consumidores.

Os estabelecimentos encerrados vendiam bebidas alcoólicas ilegais, sem cumprimento dos requisitos de rotulagem, cartão de sanidade caducado, falta de placa de proibição de venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.

Outras irregularidades também foram detectadas, nomeadamente comércio ilegal de grogue, reutilização de copos descartáveis e lavagem incorrecta de copos para venda de bebidas alcoólicas.

As operações de fiscalização irão continuar diariamente no terreno até ao final do ciclo de produção de 2019, visando garantir a legalidade do funcionamento dos estabelecimentos comerciais, e os produtos comercializados, refere a IGAE.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.