Jorge Santos “Cabo Verde pertence à Macaronésia e todos queremos ter uma palavra a dizer na preservação do Atlântico”

27/02/2019 00:48 - Modificado em 27/02/2019 00:48

O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, assegurou nesta terça-feira, no Mindelo, que os arquipélagos que formam a Macaronésia querem ter uma palavra a dizer na conservação do Atlântico, em linha com o conceito da Economia Azul.

“O que se deseja, é fortalecer institucionalmente os laços que unem os quatro arquipélagos; Açores, Cabo Verde, Canárias e Madeira e iniciar, assim, um debate profundo sobre o Atlântico. Cabo Verde pertence à Macaronésia e todos queremos ter uma palavra a dizer na preservação do Atlântico em tudo que diga respeito à exploração sustentável dos seus recursos, daí o conceito de Economia Azul”, salientou Jorge Santos em declarações à imprensa à saída de um encontro que uma delegação dos Presidentes das Assembleias da região mantiveram com edil sanvincentino, Augusto Neves.

De acordo com o presidente da Assembleia Nacional, tanto a I Reunião do Grupo de Ligação, ocorrida segunda-feira, 25, na Cidade da Praia, como a conferência parlamentar sobre “A Macaronésia: laboratório da biodiversidade do Atlântico”, da tarde de hoje, em São Vicente, são passos em direcção à consolidação dessas relações. Isto num momento em que, a nível bilateral com Portugal e com Espanha, Cabo Verde discute a questão da facilidade e das mobilidades” salientou.

Sobre a conferência do Mindelo, realizada no Centro Oceanográfico do Mindelo, Santos afirma que representa uma ocasião para um debate sobre a Macaronésia como laboratório da biodiversidade do Atlântico.

O mesmo afiança que é nas ilhas da Macaronésia que as coisas acontecem devido à sua grande dimensão marítima, admitindo ainda que São Vicente deve acolher, nos dias 13 e 14 de Julho de 2020, as Décimas Jornadas dos Parlamentos Atlânticos.

A Macaronésia destaca-se por ser um espaço geográfico de culturas convergentes, de arquipélagos que partilham a identidade atlântica e por isso partilham experiências e debates sobre as grandes questões da biodiversidade. Necessidade da sustentabilidade e defesa do ambiente, a criação de um ambiente e de uma região económica de partilha de investimentos, de turismo e de experiências e a nível científico, são algumas das áreas onde partilha conhecimentos.

“A Macaronésia: laboratório da biodiversidade do Atlântico” uma conferência  enquadrada no âmbito das Jornadas Atlânticas e centra-se nos dois módulos com temas relacionados com a oceanografia e a biodiversidade no Atlântico Médio e a transição para a Economia Azul e turismo sustentável.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.