Cabo Verde já possui Centro de Investigação de Montanha

6/02/2019 01:41 - Modificado em 6/02/2019 01:41

O projeto REFLOR-CV participa no Seminário de lançamento do Centro de Investigação de Montanha de Cabo Verde (CIMO-CV), pelo Instituto Politécnico de Bragança (Portugal).

Participação, enquadrada no âmbito da Semana Aberta da Internacionalização e Competitividade que, entre outros objectivos, pretendeu refletir sobre a importância da cooperação internacional no domínio da formação superior e da ciência e tecnologia, na competitividade do sistema de ensino superior politécnico e na sua capacidade de promover a inovação e o desenvolvimento da economia.

O evento, que aconteceu em final de janeiro, reuniu representantes de diversas entidades, instituições e iniciativas que participarão na construção desta importante unidade de investigação e desenvolvimento em articulação com o Centro de Investigação de Montanha, sediado no Instituto Politécnico de Bragança (CIMO-IPB), entre eles, a Associação de Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC).

O projeto florestal do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), financiado pela União Europeia (UE) e executado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), configura todo um campo aberto à investigação científica do CIMO-CV, contribuindo para sustentar emprego científico no quadro da Uni-CV, e muito particularmente da Escola de Ciências Agrárias e Ambientais (ECAA).

De acordo com o Gestor do projeto, José Ferreira de Castro, tal parceria “vem reforçar a colaboração entre o REFLOR-CV e a ECAA que prevê já, a promoção de estágios para finalistas no seguimento das operações do projeto no terreno, o acesso dos alunos às ações de formação previstas no quadro do projeto, bem como a contribuição das experiências do REFLOR-CV no terreno para a definição dos conteúdos da licenciatura em Engenharia Florestal prevista para abrir já no próximo ano letivo”.

O projeto florestal está no terreno, com trabalhos de reflorestação que ocupam perto de 1000 membros (65% mulheres) de 14 comunidades rurais de Santiago e Fogo, bem como apoiando a criação da associação de proprietários da Ribeira de Rabil, na Boa Vista, para promover sistemas agroflorestais sustentáveis que combatam a invasão pela acácia americana.

O REFLOR-CV vem trabalhando igualmente na constituição das “Florestas Pedagógicas”, pequenos arboretos que se constituirão em material pedagógico para que os professores das escolas abrangidas melhor possam explicar aos alunos do Ensino Básico e Secundário, a floresta cabo-verdiana, o seu valor e a sua importância na mitigação dos efeitos das alterações climáticas no território nacional.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.