DJ’s femininas em São Vicente uma realidade que promete cair no gosto da juventude sanvicentina

29/01/2019 23:40 - Modificado em 29/01/2019 23:40
| Comentários fechados em DJ’s femininas em São Vicente uma realidade que promete cair no gosto da juventude sanvicentina

A realidade sanvicentina sempre viveu a base dos DJs masculinos. Estes sempre foram os donos e senhores das noites, nas diversas casas nocturnas e discotecas da ilha, mas Dj Kelissa Melo e Madelene Dias “Dj Xfraiss”, são uma excepção à regra e prometem ser as futuras senhoras das noites mindelenses.

Falar de Djs femininas em São Vicente era, até ao momento, uma situação insólita e  gerava uma certa estranheza, principalmente junto da juventude. Estes sempre estiveram acostumados a serem animados pelos Djs masculinos. Mas de uma situação insólita passou a realidade graças ao Workshop organizado em pela empresa “Tud Eventos”, no início do ano 2018, para a seleção de Djs femininas.

Neste Workshop, Kelissa Melo e Madelene Dias foram as grandes vencedoras,  pondo fim à hegemonia masculina nas noites mindelenses. Subiram ao palco, pela primeira vez diante de um vasto público, no dia 05 de Maio, data em que a Tud Eventos comemorou o seu segundo aniversário.

O NN esteve a conversa com as duas Djs e ficou a saber como tem sido a sua aceitação por parte do público, assim como perspetivas futuras. 

Uma janela de oportunidade que se abriu para Dj Kelissa Melo e Dj Xfraiss e que pretendem agarrar para singrarem na carreira. Como tudo na vida é feito à base do amor, as duas vêem no amor que partilham pela música o grande suporte na escolha em ser Dj. Como as duas asseguram, se não houver amor pela música, daí não poderá sair nada.

Umas vezes parceiras de palco, outras vezes não, as duas partilham o mesmo gosto musical, o Afrohouse, aquela que acreditam ser o estilo que agrada a todos. Sustentam que apesar do nervosismo evidenciado na primeira vez que subiram ao palco, sempre tiveram um “feedback muito positivo do público”, isto é desde a primeira vez, até a presente data, um cenário que não estavam a espera.

Dj Xfraiss, no entanto, afirma que tem um projecto pessoal, onde quer fazer uma mixagem de música da nossa terra com o Afrohouse. Mas o grande entrave, segundo a mesma, prende-se com os parcos recursos financeiros, que a condicionam a levar isso adiante. “Seria um projecto interessante porque o público gosta do Afrohouse, e isso teria uma grande aceitação”, assegura.

Afirmar no mundo dos Djs é um cenário difícil de conseguir, mas para Kelissa e Madelene, o segredo está em ter os pés bem assentes na terra e serem humildes. “Gostamos de inovar, mas estamos ainda no início, por isso, estamos num período ainda de ganhar experiência e bagagem para poder chegar onde queremos. Queremos traçar os nossos caminhos passo a passo, porque sabemos, que as coisas estão um pouco difíceis, e como somos as primeiras Djs femininas, não sabemos como está o cenário neste aspecto”, vinca Kelissa Dias.

Sendo as primeiras Djs femininas a surgir na nossa realidade, Kelissa e Xfraiss, afirmam que esta é certamente uma “grande motivação” para outras mulheres não desistirem de seguir os seus sonhos. Sonhos estes, que querem ver realizados, para estarem na elite dos Djs cabo-verdianos.

“Pedimos a todas as raparigas que têm amor pela música, para seguirem os seus sonhos, e trabalharem duro para isso” concluem.

O Workshop para DJs femininos, surgiu da iniciativa da empresa “Tud Eventos”, onde, segundo o manager desta dupla, Elick Delgado e representante da empresa, tiveram várias inscrições a nível nacional, mas só participaram as residentes em São Vicente. Foram seleccionadas 12 raparigas, onde somente duas Djs foram recrutadas, isto é, seguindo um conjunto de critérios de seleção.

De acordo com Elick, este projecto só foi adiante, graças a colaboração dos Djs sanvincentinos, como são casos de Dj Vata, Paulão, Letra, Didá, Piduca e Rudy Soares. Também os Djs da casa, “X Suport Team”, Dj Djé, Freddy e Killer, que diariamente estão com as Djs femininas, oferecendo o suporte onde elas mais necessitam.

Segundo o mesmo, as duas DJs que são ainda novas no mercado de trabalho musical, tem ainda um percurso grande pela frente, e que as suas imagens têm de ser ainda cultivadas.

Elick Delgado aponta o ano 2019 como sendo o ano em que Dj Xfraiss e Dj Kelissa Melo. Neste ano elas vão ter as suas primeiras saídas de São Vicente, pisando assim outros palcos nacionais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.