Político italiano condenado após chamar “orangotango” a antiga ministra

15/01/2019 12:01 - Modificado em 15/01/2019 12:01

A justiça italiana condenou hoje o senador da extrema direita Roberto Calderoli a 18 meses de prisão, com pena suspensa, por comparar, em 2013, a ministra da Integração, Cécile Kyenge, com um “orangotango”.

Otribunal de Bérgamo emitiu hoje a sentença, apesar de Roberto Calderoli não passar pela prisão, uma vez que a pena de 18 meses foi suspensa na sua execução.

O político italiano da Liga do Norte fez esta comparação de Cécile Kyenge, a única do governo de Enrico Letta que era negra, em julho de 2013, durante um ato do seu partido em Treviglio.

“Eu conforto-me quando navego na internet e vejo fotografias do Governo. Amo os animais, os ursos e os lobos, mas quando vejo imagens de Kyenge não posso deixar de pensar nas feições de um orangotango”, disse Calderoli, que foi ministro no último governo de Sílvio Berlusconi.

As suas palavras causaram grande polémica entre a classe política e Roberto Calderoli teve de pedir desculpa no Parlamento e reconhecer que cometeu uma “idiotice”.

Cécile Kyenge, originária da República Democrática do Congo, saudou a decisão do tribunal e referiu que, apesar da pena estar suspensa, “é uma condenação importante para todos os que lutam contra o racismo”.

Por Lusa

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.