Quadros de Tchalé Figueira retirados da exposição na Assembleia Nacional: artista diz-se indignado

14/01/2019 14:49 - Modificado em 14/01/2019 23:57

Esta segunda-feira, dois quadros do artista plástico Tchalé Figueira foram retirados de uma exposição coletiva de duas gerações de artistas que decorre na Assembleia Nacional.

De acordo com o pintor, não se sabe qual a motivação da retirada das obras. Estas encontravam-se expostas desde sexta-feira, 11 Janeiro, enquadrado nas comemorações do dia 13 de Janeiro, dia da Liberdade e Democracia.

Entretanto, este especula que os motivos devem ser pudor, uma vez que as duas obras contêm um teor erótico, que na óptica do artista “não é nada de mais”, já que o erotismo existe, afirma o pintor que diz ainda que “se existem pessoas com mentes sujas é um problema de Cabo Verde que ainda não foi resolvido em questão de educação”.

Para este criador “é espantoso a reação de algumas pessoas sobre os meus quadros eróticos”, mas “Cabo Verde tem violação de crianças diariamente e vejo pais constantemente a pôr criancinhas em festas públicas a dançar danças lascivas, pais que estupidamente orgulhosos das suas crias, acham graça os movimentos das criancinhas saracoteando. Um convite sem dúvida para pedófilos e toda a espécie de tarados”, critica.

Ainda antes deste acto, algumas pessoas nas redes sociais, criticavam os quadros em questão, sobre o seu teor e o facto de estarem expostos na AN e que foram retirados a mando do Serviço Patrimonial da Assembleia.

Por isso, Tchalé Figueira diz que alguém deve responder por este ato que não é “nada mais que censura” e acusa os responsáveis de estarem a violar a liberdade de expressão de um artista, algo que considera “bastante primitivo e triste”.

De referir que nem o artista nem a organização da exposição foram avisados sobre a retirada das obras.

Artista plástico premiado no exterior, as obras de Tchalé Figueira estão em várias colecções privadas e museus internacionais.

  1. João Pedro Monteiro

    DEIXEMOS DE LEVIANDADES POIS DE ARTE O TCHALÊ SÓ ENGANA ESSA GERAÇÃO PÓS 75. TCHALÊ FIGUEIRA NÃO TEM ESCOLARIDADE SUPERIOR NENHUM E MUITO MENOS CURSO DE BELAS ARTES FEITAS EM SUÍÇA. TRABALHOU NESSA INSTITUIÇÃO COMO FUNCIONÁRIO DE LIMPEZA E ANOS DEPOIS CHEGOU EM CABO VERDE FAZENDO ESSES QUADROS HORRIVEIS, DE FORMAS GROTESCAS E DE MAU GOSTO SE AUTO-INTITULANDO DE ARTISTA. PIOR É QUE O GOVERNO DE ENTÃO LHE ATRIBUIU, JUNTAMENTE COM O VASCO MARTINS UM SALARIO VITALICIO DE 80 CONTOS POR SER ARTISTAS O QUE É O CUMULO. NO ENTANTO ESTE DITO ARTISTA É O MAIOR MANDADOR DE BOCAS DESTES GOVERNOS DE ONDE RECEBE SALARIO SEM TRABALHAR.

  2. ArTiSta

    SR. JOÃO PEDRO MONTEIRO, PELA SUA CRITICA MORDAZ DEPRENDE-SE QUE O SR. É UM ESPECIALISTA EM ARTES, OU SERÁ OUTRO TIPO DE PROBLEMA DE FORUM CLINICO QUE PADECE?
    SE FOR O CASO PROCURE UM ESPECIALISTA NESTA ÁREA DA SAÚDE MENTAL, POIS AINDA PODE HAVER ALGUMA ESPERANÇA DE RECUPERAÇÃO!
    MELHORAS.

  3. Justo

    É certo que a Assembleia Nacional andou muito mal, pois, quadros desta natureza nunca deviam ser expostos, pela sua indicencia e, até, diria quadro de desrespeito total aos padrões culturais deste Cabo Verde. Aliás, importa perguntar se existem pessoas capazes de, no seu juizo total, sequer se disponibilizar para perder a seu tempo e ver uma pouca vergonha dessa. Então é normal chamar de cultura andar pelas ruas completamente nu, chamar nomes obscenos a determinados orgãos do nosso corpo e, ainda por cima, chamar isso de cultura??? Tenham vergonha

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.