Boavista: Uso indevido de passeio por parte de “rabidantes” na cidade de Sal Rei causa indignação

9/01/2019 22:59 - Modificado em 9/01/2019 23:06

A ocupação indevida do passeio por parte das vendedoras de roupas, ao lado do liceu da ilha, tem causado indignação aos munícipes pois tal tem constituído um perigo enorme aos peões, sobretudo aos alunos que fazem trajecto até à Escola Nova.

Para alguns munícipes a transformação do espaço ao lado do liceu num “mini-sucupira” sempre gerou polémica e causou alguma desordem numa das vias mais movimentadas da cidade de Sal Rei, mas para outros foi uma alternativa encontrada para organizar a venda ambulante nas ruas da cidade.

Actualmente, além da ocupação das barracas, algumas vendedoras têm ocupado o passeio de forma deliberada, impedindo a livre circulação dos peões.

 “As vendedoras ocupam todo o espaço. Inclusive o pequeno passeio tem sido ocupado com mesas, cadeiras e bidões, impossibilitando a circulação das pessoas. As crianças caminham dentro da estrada ao lado das viaturas, sem contar os carros que vêm em alta velocidade”, lê-se na página do movimento SoS Bubista.

Para o grupo SoS Bubista, esta situação além de denegrir a imagem da cidade, representa um perigo, sobretudo para os mais pequenos. Nesta óptica, solícita a intervenção da Câmara Municipal, que na altura da ocupação desse espaço tinha afirmado que era um “sucupira” provisório.

Conforme salienta Aida já lá vai mais de um ano e tudo permanece nas mesmas condições. Segundo a mesma fonte alguns munícipes afirmam que o espaço está “totalmente bagunçado e tem se tornado mais crítico com a falta de fiscalização”.

Depois desta reclamação, o vereador para a área de Comércio e Fiscalização da Câmara Municipal, Djamilton Lima, garantiu que a autarquia está ciente destas dificuldades, sustentando que está em curso um projecto para a remoção dessas barracas para o “mercadinho” ao lado do Centro da Juventude.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.