Sokols 2017 pede ao PM para se informar melhor

8/01/2019 23:54 - Modificado em 8/01/2019 23:54

Na sequência das palavras proferidas na segunda-feira pelo primeiro-ministro de Cabo Verde, sobre o movimento Sokols, no âmbito da apresentação dos habituais cumprimentos de Ano Novo ao Presidente da República, esta terça-feira o movimento Sokols, através de Carlos Araújo, pede ao PM para se informar melhor sobre as ideologias desta organização pois esta prima pelo desenvolvimento de todas as ilhas, e esclarece que não são a oposição. 

Sobre as palavras do PM que disse que os Sokols têm uma forma muito própria de atuação, e que não sabe se defende, de facto, propósitos de desenvolvimento, Carlos Araújo membro do movimento cívico, em declarações ao NN afirma que Ulisses Correia e Silva, “não está informado”.

“Há uma coisa muito clara, Sokols quer um tipo de desenvolvimento para Cabo Verde, que evidentemente o partido que está no Governo não quer, e que os outros partidos não querem” assegura. Para Carlos Araújo, neste momento o Sokols é visto pelo Governo como a verdadeira oposição, juntamente com outros movimentos da sociedade civil que vão aparecendo.

Segundo Araújo a luta não ficará por aqui e aponta o ano 2019 como sendo um “ponto fulcral” para Cabo Verde, porque entende que as populações das ilhas têm de escolher se querem ou não pegar neste ponto, para que se possa criar uma organização adequada para Cabo Verde “ou vamos perder anos e anos do nosso desenvolvimento”.

“Nós vamos continuar na nossa luta. Queremos que já em 2019 a população esteja convencida de que realmente é necessário mudar. O Sokols vai lutar neste sentido, com os nossos meios. Nós vamos pegar já nos nossos emigrantes, porque esses são a força imensa dessa terra” sublinha Araújo.

Para este membro, a ideia do movimento é que São Vicente e as outras ilhas, ao assumirem  a autonomia, vão dar um pulo enorme, afirmando que todos vão ganhar com isso. “A nossa proposta é de longe superior, em contrapartida, com as que estão vigorando. Essas são importadas e por isso não têm nada a ver com a nossa realidade”.

Carlos Araújo defende que o Sokols não é uma organização de manifestações, mas sim um veículo de informação da população, ou seja, funciona como um porta-voz e só fazem manifestações quando a população demonstra que se quer manifestar. “Peço que o primeiro-ministro se informe bem, porque da nossa boca sai apenas o que a população quer dizer”.

  1. A verdade sempre Doí ! e o PM. anda a procura de desculpa,, sempre atrasado..a dizer ( falar ) Sem sentido…. pensa q os Caboverdeanos ainda andam cego…É melhor pedir desculpa ..essa na TACV da conversa de-le…ele representa o ESTADO::mas esta d´´fora , na Politica. da TACV .perdeu Voto.. PM de CVerd..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.