ACNUR pede caminhada de 2 mil milhões de km para apoiar refugiados

8/01/2019 12:12 - Modificado em 8/01/2019 12:13

O ACNUR lançou hoje uma campanha pedindo às pessoas no mundo para caminharem até se alcançar um total de 2.000 milhões de quilómetros, a distância que a agência estima que os refugiados caminham a cada ano.

“Acampanha incentivará as pessoas a darem apoio aos refugiados com algo que já fazem: caminhar, pedalar, correr”, disse Kelly Clements, alta-comissária adjunta do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Kelly Clements referiu que esta e outras iniciativas procuram “lembrar as perigosas jornadas que os refugiados são forçados a realizar”.

Para participar na campanha “Caminhe com os Refugiados”, basta entrar no site criado para a ocasião (stepwithrefugees.org), registar-se e descarregar uma aplicação para telemóvel (Strava ou Fitbit) para colaborar, pois cada quilómetro registado será adicionado a um marcador mundial.

O marcador já soma, nos primeiros momentos da campanha, cerca de 70.000 quilómetros percorridos, mas ainda está longe dos 2.000 milhões estabelecidos como meta, o equivalente a 50.000 voltas ao mundo.

O objetivo a ser alcançado foi calculado multiplicando o número de refugiados sírios (mais de seis milhões) pelos 240 quilómetros que muitos devem percorrer para chegar à Turquia, os 640 quilómetros que viajam 2,4 milhões de deslocados do Sudão do Sul para alcançar o Quénia ou os 80 quilómetros de um milhão de rohingyas para sair da Birmânia (Mianmar) para o Bangladesh, entre outras distâncias.

O ACNUR encoraja os participantes a procurar patrocinadores para os desafios individuais estabelecidos no âmbito da campanha e, assim, obter mais de 15 milhões de dólares para financiar abrigos para refugiados ou ajuda humanitária.

O órgão da ONU, com sede em Genebra, conta na campanha com celebridades como o ator norte-americano Ben Stiller, que se comprometeu em participar na “caminhada” global.

“Muitas famílias são obrigadas a fugir da violência e da perseguição, assumindo esforços extraordinários para sobreviver. Correm pelas suas vidas, para ter um teto seguro, um lugar onde não tenham de viver com medo”, disse o ator e diretor nova-iorquino.

“Então eu vou andar com os refugiados, aderir à campanha 2.000 milhões de quilómetros, e pedir a todos que me sigam”, disse o ator, embaixador da boa vontade do ACNUR, de acordo com um comunicado divulgado pelo organismo da ONU.

Por Lusa

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.