Perla Negra: arguidos voltam ao tribunal na próxima semana para ACP

4/12/2018 23:41 - Modificado em 4/12/2018 23:41
| Comentários fechados em Perla Negra: arguidos voltam ao tribunal na próxima semana para ACP

Passado mais de um ano, após a libertação dos cinco arguidos estrangeiros condenados no processo “Perla Negra”, em liberdade desde Maio de 2017 da Cadeia da Ribeirinha, São Vicente, e que respondem no processo sob Termo de Identidade e Residência (TIR), estando ainda impedidos de saírem do país e com apresentação todas as sextas-feiras no Comando Regional da Polícia Nacional, o processo regressou ao Tribunal para uma Audiência Contraditória Preliminar (ACP), onde se vai avaliar se o caso vai ou não a julgamento.

Recorda-se que a operação denominada “Perla Negra” culminou, em 2014 na apreensão de 521 quilos de cocaína, armas de guerra e na detenção de seis arguidos. Os espanhóis Juan Bustos, José Villalonga e Carlos Ortega, o cubano Ariel Benitez, o sueco Patrick Komarov e o cabo-verdiano Alexandre Borges, conhecido por Xando Badiu.

De acordo com informações recolhidas, a sessão da audiência contraditória preliminar marcada para esta terça, 04 dezembro, foi adiada para a próxima terça-feira, a pedido do Ministério Público.

Entretanto, além do adiamento da ACP, o Ministério Público retirou as acusações de lavagem de capitais e associação criminosa que pendiam sobre os arguidos, mas manteve as acusações de narcotráfico e posse de arma. A decisão foi comunicada na manhã desta terça-feira ao juiz do segundo juízo criminal.

A operação “Perla Negra ” culminou a 5 de Novembro de 2014 com a apreensão de 521 quilos de cocaína em estado de elevada pureza, droga essa encontrada no interior de duas viaturas que faziam o trajeto Salamansa-Cidade.

Dos seis acusados, quatro solicitaram a ACP: os espanhóis Juan Bustos, José Villalonga e Carlos Ortega e o cubano Ariel Benitez. De fora ficaram o sueco Patrick Komarov e o cabo-verdiano Alexandre Borges, conhecido por Xande Badiu, que  foi libertado  no 29 de Novembro devido a um acórdão do Tribunal Constitucional  que considerou a sua prisão ilegal.

Cv 1

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.