Fogo: Gosto de cloro na água causa estranheza na população

30/11/2018 01:37 - Modificado em 30/11/2018 01:37
| Comentários fechados em Fogo: Gosto de cloro na água causa estranheza na população

A população de São Filipe, na ilha do Fogo, principalmente na parte baixa, reclama do gosto  “duro e nada agradável da água na localidade, confundindo com excesso de lixivia, mas a Águabrava explica que se trata de hipoclorito de cálcio usado no tratamento da água.

O hipoclorito de cálcio é utilizado para eliminação de eventuais micro-organismos na água, explicou José Rodrigues, administrador/delegado da empresa de abastecimento da água na ilha, Águabrava, numa entrevista à Inforpress. Aponta que se prosseguiu com o sistema de tratamento porque a partir do próximo ano a Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) via exercer um “controlo mais rigoroso” quanto à qualidade da água, não só na desinfeção mas em todos os componentes físico-químico e bacteriológico.

“Nos primeiros tempos isto pode causar alguma estranheza na população que não está habituada ao cheiro ou gosto do cloro”, disse José Rodrigues, indicando que a empresa está a regular o sistema para o mínimo recomendado, e a água chega a casa das pessoas com 0.2 PPM (percentagem por litro de água de concentração de hipoclorito de cálcio), adiantando que nos reservatórios é regulado de acordo com entrada de água, e de modo automático. Em função da quantidade de água entrada será injetado a quantidade cloro equivalente.

O mesmo alega que com a injeção de entre 250 a 300 metros cúbicos de água/dia, do furo de Benexa, na rede de abastecimento à cidade, a empresa aproveitou para fazer o tratamento de água para o consumo com introdução de cloro (hipoclorito de cálcio).

Nos Mosteiros, a empresa já dispõe do sistema de tratamento e agora inicia-se em São Filipe, nomeadamente São Filipe-centro e depois será instalado o sistema em São Filipe norte e sul.

Segundo o responsável da Águabrava, a empresa, além de instalar o sistema de desinfeção, vai também instalar equipamentos para verificar a questão de calcário na água, salientando que apesar de estar dentro do parâmetro estabelecido pelas normas da ANAS, vai-se instalar equipamentos para fazer a descalcificação e tornar a água menos dura, isto é diminuindo a dureza de água em São Filipe.

O furo de Benexa tem capacidade para 25 metros cúbicos/hora e se trabalhar apenas com energia solar, durante dez horas pode disponibilizar 250 metros cúbicos/dia, mas se houver necessidade pode atingir os 300 metros cúbicos/dia, trabalhando mais duas horas com energia convencional, disse José Rodrigues, aumentando assim a capacidade de abastecimento, conforme avança a Inforpress.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.