Dia Mundial da luta contra a SIDA: “Conheça o seu estado”

30/11/2018 01:03 - Modificado em 30/11/2018 01:03
| Comentários fechados em Dia Mundial da luta contra a SIDA: “Conheça o seu estado”

O Dia Mundial de Luta contra a Sida que se assinala anualmente em todo o mundo a 1 de Dezembro, visa alertar as populações para a prevenção contra o HIV/SIDA e lembrar todas as vítimas que faleceram ou que estão infectadas com a doença.

“Conheça o seu estado” é o tema do Dia Mundial de Luta contra a Sida que este ano, comemora o seu 30º aniversário.

Segundo a ONUSIDA, desde 1988, houve progressos significativo na resposta à SIDA e, até o momento, três em cada quatro pessoas que vivem com o HIV sabem do seu estado.

No entanto, como mostra o último relatório da ONUSIDA, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar as pessoas que vivem com o HIV e desconhecem tal facto, para que assim possam garantir o acesso aos serviços de apoio e tratamento.

Para este Dia Mundial da SIDA, a ONUSIDA convida todos a unir esforços para aumentar a conscientização sobre a importância de se conhecer o status sorológico e pedir a eliminação de qualquer impedimento para aceder os testes de HIV.

Em São Vicente, o Ministério da Saúde, através da Delegacia de Saúde, realiza, nesta sexta-feira, 30 de Novembro, algumas actividades relacionadas com o tema e divididos em diversos painéis.

Em 2015 o acesso ao tratamento da SIDA abrangeu 15 milhões de pessoas. Por outro lado mais de 60% das pessoas portadoras do HIV continuam sem acesso ao tratamento com anti-retroviral. Daí a necessidade de chamar a atenção para as pessoas que ficam para trás neste acesso, principalmente como jovens, transgéneros, homossexuais e pessoas que consomem drogas.

De acordo com um relatório apresentado em Julho deste ano a UNAIDS – Agência das Nações Unidas  alerta para o aumento no número de infecções com HIV em 50 países. Cabo Verde é um dos países que fazem parte dessa lista de países onde se registaram aumentos entre 5% a 25% referentes ao número de novos casos de infecções com o HIV.

O teste de HIV é essencial para expandir o tratamento e garantir que as pessoas que vivem com o HIV sejam capazes de levar uma vida saudável e produtiva. É também essencial para alcançar os objetivos 90-90-90 e capacitar as pessoas para ter capacidade de decisão em relação à prevenção do HIV, para que eles possam proteger-se a si e aos seus entes queridos.

Por outro lado, conforme o relatório divulgado pela ONUSIDA, Cabo Verde é o único país da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na região da África Ocidental e Central que registou uma taxa de tratamento superior ao valor compilado nestas zonas, superando a média de 40%.

Infelizmente, muitos obstáculos continuam a dificultar o teste de HIV: o estigma e a discriminação desencorajam as pessoas a fazer o teste e o acesso a testes confidenciais continua a ser problemático.

Entretanto existem muitas maneiras novas de ter acesso ao teste de HIV, nomeadamente os testes de autodiagnóstico, testes comunitários e testes para o diagnóstico de várias doenças que estão ajudando as pessoas a conhecer seu status sorológico.

Programas de testagem para HIV devem ser expandidos. Para isso a vontade política e os investimentos são necessários, bem como novas abordagens para testes de HIV que sejam inovadoras e façam uso e cobertura otimizados.

Sida –Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, é uma doença provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana, que foi descoberta no ano de 1981 e matou mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo. África é o continente onde a SIDA tem feito mais vítimas. No final de 2013 contavam-se cerca de 35 milhões de pessoas com a doença.

As formas de transmissão são através de: relações sexuais desprotegidas, contacto com sangue infectado, de mãe para filho durante a gravidez, parto ou pela amamentação.

O vírus não se transmite pelo ar (espirros ou tosse). Por isso não há qualquer risco no contacto social quotidiano com pessoas infectadas pelo HIV.

Em 2017, Cabo Verde registava cerca de 2500 pessoas a viver com o HIV e seguidos pelos serviços de Saúde. Dados avançados pelo Comité de Coordenação do Combate à Sida (CCS-Sida).

Fonte: MSSS

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.