Carnaval 2019: Amantes do carnaval irritados com polémica LIGOC, Estrelas do Mar, Vindos do Oriente

18/11/2018 22:14 - Modificado em 18/11/2018 22:14
| Comentários fechados em Carnaval 2019: Amantes do carnaval irritados com polémica LIGOC, Estrelas do Mar, Vindos do Oriente

Um braço de ferro entre o Vindos do Oriente e a LIGOC e o regressado  Estrelas-do-mar, pode pôr em causa o maior carnaval de Cabo Verde. Tudo começa com a decisão do grupo carnavalesco Vindos de Oriente de não desfilar no Carnaval 2019, que acontece a 05 de Março, por discordar de decisões administrativas da Liga Independente dos Grupos Oficiais do Carnaval de São Vicente (LIGOC-SV), bem como a “intransigência” do organismo em travar a participação do grupo Estrelas do Mar no desfile.

A decisão causou irritação entre os amantes da festa. Estes defendem o evento como sendo parte da identidade e da história da cidade e como um motor económico que gera retornos milionários para os cofres municipais.

Na semana passada os ânimos exaltaram um pouco, no seio dos mindelenses com a decisão do  LIGOC.

Para a Liga, o grupo Estrelas do Mar pediu para entrar na competição exactamente no momento em que estamos a estabelecer as regras e que remetem o grupo para o desfile de acesso, ou seja teria que desfilar antes do dia dos desfiles oficiais e caso seja bem sucedido, pode ou não, subir e descer de divisão.

Nas redes socias, o debate tem corrido solto, com uns a favor da posição do VO e também apelam à organização a ter em conta o histórico grupo no carnaval de São Vicente, que vários anos depois quer voltar ao sambódromo e quanto mais grupos, melhor a competição.

Por outro lado, existem os que defendem que este tipo de “chantagem barata” não pode funcionar na organização do carnaval 2019 e que a LIGOC mostra quer transformar ainda mais e melhor o carnaval de São Vicente.

Sendo desde de sempre, o propósito do Carnaval de São Vicente de “divertir e fazer uma festa para o povo da ilha”, nos últimos tempos, o objectivo tem sido a sua internacionalização e com a sua transformação em um produto turístico mais qualitativo e que as medidas da Liga não é na mais em prol do desenvolvimento da festa.

“Temos um carnaval cheio de cor e brilho. Podemos transforma-lo cada vez mais num produto turístico, mas sem nunca esquecer aquilo que é nosso, e ao longo dos tempos o nosso carnaval está a evoluir anos após anos. Mas é importante mantermo-nos fieis em certas coisas, porque temos algo que é único, e diferente”.

E que não devemos deixar morrer a nossa essência de carnaval de Mindelo porque é a nossa identidade. O carnaval do Brasil é feito de uma maneira e o nosso é feito de outra”.

Sobre a ameaça do grupo VO ficar de fora, dizem que este é “um grupo cheio de cor alegria e criatividade. Sinceramente é mesmo triste se não sair no próximo ano”.

No entanto, a gestão de mudanças organizacionais levam a conflitos de gerações. “Para resolver este conflito será necessário negociações e não imposições da LIGOC ainda por cima escudando-se em material burocrático que nada serve para evoluir ou “criar valor”.

E por isso acreditam que uma solução poderia ser o sábado: as escolas domingo: Vindos do oriente e Estrelas-do-mar e na segunda-feira à noite: Samba Tropical e terça-feira: Monte Sossego, Cruzeiros do Norte e Flores do Mindelo, no entanto sem mexer no trajecto tradicional.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.