Concurso de Professores: Prova de conhecimento foi o “calcanhar de Aquiles” para a maioria dos candidatos

18/11/2018 21:27 - Modificado em 18/11/2018 21:27

A prova de conhecimento nas disciplinas de Matemática e Informática revelaram ser o ponto mais fraco para a maioria dos candidatos do concurso de Professores para o ano lectivo 2018/19. Um facto que já gerou o descontentamento da Secretária de Estado para Modernização Administrativa, Edna Oliveira, que inclusive já terá pedido a anulação do concurso.

Na disciplina de Matemática, num universo de 23 candidatos, apenas um ficou aprovado no teste de conhecimento. Para o Ensino Básico Obrigatório, também uma alta taxa de reprovação no teste de conhecimento, o mesmo acontecendo com a disciplina de Físico-Química onde nenhum candidato passou. A nota exigida no regulamento para que os candidatos pudessem ser aprovados era de 12 valores.

Informações recolhidas por este Online dão conta que existe a possibilidade da contratação destes candidatos para leccionarem durante o presente ano lectivo, através da prestação de serviços, o que os obrigaria a participar em novo concurso no ano lectivo 2019/20.

Outro problema que afecta neste momento o ensino em Cabo Verde é o facto de já la vão dois meses e meio do início das aulas e faltando cerca de um mês para a conclusão do primeiro trimestre e  ainda existem muitas escolas sem professores para várias disciplinas.

Recorda-se que durante o concurso de recrutamento de professores, 42 Licenciados em Ciências da Educação foram excluídos do concurso por, alegadamente, não possuírem as condições académicas e profissionais suficientes para leccionarem. Uma situação que deixou os licenciados mergulhados em profundo descontentamento. Estando estes neste momento a lutar para que os seus direitos, que entendem estar a ser violados, sejam repostos.

  1. FAED

    que nesta matéria andaram muito mal. Há um grupo de recém formados na universidade de FAED que é uma universidade especializada em formar docentes durante 4 anos, onde fizeram estágio curricular nos três ciclos do ensino básico nas diversas escolas. Na altura do concurso já tinham entregado o trabalho do fim do curso para defesa, onde a universidade passou-lhes uma declaração afirmando que os alunos fizeram estágio nos três ciclos do EBO, que as monografias já estavam entregados a espera da marcação da defesa pela Universidade e que não tinham nenhuma disciplina em atraso, mas mesmo assim recusaram admiti-los para o teste de acesso. Agora pergunto se nesse caso não seria melhor deixa-los fazerem o teste, sabendo que o concurso ia demorar e logo após a defesa entregariam os certificados, pois sabemos que ao longo do ano precisarão de professores para preencherem as vagas dos que vão aposentando e em casos de doenças?

  2. FAED

    O Ministério da educação nesta matéria andou muito mal. Há um grupo de recém formados na universidade de FAED (ex IUE) que é uma universidade especializada em formar docentes durante 4 anos, onde fizeram estágio curricular nos três ciclos do ensino básico nas diversas escolas. Na altura do concurso já tinham entregado o trabalho do fim do curso para defesa, onde a universidade passou-lhes uma declaração afirmando que os alunos fizeram estágio nos três ciclos do EBO, que as monografias já estavam entregados a espera da marcação da defesa pela Universidade e que não tinham nenhuma disciplina em atraso, mas mesmo assim recusaram admiti-los para o teste de acesso. Agora pergunto se nesse caso não seria melhor deixa-los fazerem o teste, sabendo que o concurso ia demorar e logo após a defesa entregariam os certificados, pois sabemos que ao longo do ano precisarão de professores para preencherem as vagas dos que vão aposentando e em casos de doenças? Como vão agora preencher as vagas em falta? Anular o concurso e meter os que não passaram no mesmo ou recrutar os recém formados do FAED que estão capacitados para lecionar? Aguardamos o desenrolar do processo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2019: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.