Rui Águas: “Estamos numa posição que não nos permite descuidos”

14/11/2018 23:59 - Modificado em 14/11/2018 23:59
| Comentários fechados em Rui Águas: “Estamos numa posição que não nos permite descuidos”

  O selecionador nacional de Cabo Verde, Rui Águas, em declarações ao site “Cabo Verde e sua Gente”, enalteceu a situação do combinado nacional, alegando que neste momento a posição dos Tubarões Azuis no grupo L de apuramento para o CAN 2019 não é a melhor. Mas garante uma equipa determinada em querer vencer os dois últimos jogos do grupo, a começar já no próximo sábado, 17 de Novembro, na dificílima deslocação ao Uganda, líder destacada do grupo.

O desaire fora de portas na Tanzânia, derrota por 2-0, complicou e de que maneira as contas de Cabo Verde no grupo L de apuramento, onde foi ultrapassada precisamente por esta seleção, o que obriga a nossa seleção a vencer os dois próximos jogos para poder reentrar na luta pelo apuramento. Rui Águas começou por dizer que o último jogo precipitou a situação pontual da qualificação de Cabo Verde, realçando que a derrota na primeira jornada do grupo em casa não foi positivo. “Mas é a realidade e é com ela e com confiança que nós esperamos vencer. Estamos numa posição que não nos permite descuidos” sustenta.

“Na Tanzânia falharam várias coisas. Primeiro estamos a falar de uma seleção que tem o seu próprio avião e depois dos jogos viajam logo. Todos sabemos que o desporto exige muito esforço físico, e o treino de recuperação é o mais importante, e nós viajamos durante dois dias e perdemos duas noites. E quando isso acontece, em vésperas de um jogo, é claro que não estamos em pé de igualdade com o adversário. Mas nós poderíamos ter feito melhor. Não fizemos um mau jogo. É daqueles jogos em que se joga mais do que o adversário, se remata mais do que eles, mas se acerta menos que o adversário” afirmou.

O próximo jogo de apuramento é fora de portas com o Uganda, em Kampala, no Mandela National Stadium. Mesmo com as muitas dificuldades esperadas neste desafio, o selecionador nacional salienta que um empate não chega. “Estamos também dependentes da sorte, mas é com a vitória no pensamento que vamos encarar o jogo. Os nossos jogadores estão focados e sabem que jogar em África é difícil. Mas é a nossa realidade e eles são muito experientes. Temos de ter pensamento positivo. Independentemente de onde jogamos, vamos encarar este jogo como uma final que tem que ser ganha”.

Faltando apenas dois jogos para que a fase de apuramento fique completa, Rui Águas não tem dúvidas que só a vitória interessa. Mas esclarece que é preciso encarar um jogo de cada vez e o que temos de fazer neste momento. “Não adianta estarmos a pensar no jogo com o Lesoto, se não ganharmos este”.

Para a “Operação Uganda” o selecionador dos Tubarões Azuis promete uma equipa confiante e que saberá aquilo que necessita fazer para ganhar. “Penso que temos muitas possibilidades de conseguir vencer. Há muita gente que sofre connosco e esperam que possamos vencer. Por isso sempre peço aos nossos jogadores que tenham em mente as pessoas que nos acompanham. E vamos com isso em mente para vencer”, finaliza.

A seleção realizou nesta quarta-feira, o último treino em Portugal antes da viagem no início da noite para Kampala, onde no sábado 17, vai defrontar a seleção da Uganda. Faltando apenas duas jornadas para o término da fase de grupos, Cabo Verde ocupa a terceira posição com quatro pontos. Fruto de um empate e uma vitória. O combinado nacional está a um ponto da Tanzânia e seis da Uganda líder destacada do grupo com 10 pontos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.