Totoloto Nacional: A polémica continua

16/09/2018 20:03 - Modificado em 16/09/2018 20:03
| Comentários fechados em Totoloto Nacional: A polémica continua

 CVCV  diz que boletins que não deram entrada na sede do Totoloto Nacional ficam fora do concurso.

Em comunicado a Cruz Vermelha de Cabo Verde, concessionária do  Totoloto, serve-se dos regulamentos para reafirmar que “os bilhetes que não deram entrada na sede do Totoloto Nacional no prazo estabelecido e que os mesmos ficam fora do concurso.” O que significa que se um apostador entregar um boletim de apostas, como aconteceu com um apostador do Fogo e já aconteceu em outras ilhas, numa agência do Totoloto e esta não der entrada na sede, na cidade da Praia, nos prazos estabelecidos, não é válido. Mas os apostadores, nas redes sociais, não aceitam essa interpretação do regulamento e defendem que esse regulamento deve ser alterado. Segundo os mesmos “o montante jogado nas ilhas, onde os boletins não chegaram à Cidade da Praia, contam para o montante global dos prémios e o dinheiro das apostas feitas não é devolvido. Como tal os apostadores defendem “que já é tempo de fazer um upgrade e que podiam criar uma forma de jogar o Totoloto online e ter um pequeno programa televisivo sobre isso, passando os sorteios de forma que toda as pessoas possam ver em direto. Daria uma outra imagem e é mais viável e só têm a ganhar! Precisamos evoluir estamos muito atrasados”.

Esta nova polémica á volta do Totoloto surgiu após um apostador da ilha do Fogo ter reclamado ser o vencedor do 1º prémio do Totoloto no concurso nº36, de Setembro de 2018, cujos boletins não deram entrada na Cruz Vermelha de Cabo Verde, secção de loto, por via do cancelamento dos voos São Filipe/Praia nos dias 08 e 09 de Setembro, sábado e domingo, devido ao mau tempo. A este propósito um internauta questiona : “há  pouco tempo atrás, aquando do cancelamento do voo São Vicente/Praia, por motivos de mau tempo, a extração dos números só aconteceu na segunda-feira, exactamente por não terem chegado os boletins das agências de São Vicente. Porque é que não aconteceu o mesmo com a ilha do fogo. Poderiam perfeitamente adiar a extração para um outro dia…seria muito mais justo. Todos temos o direito de participar ou de não participar de forma igual.”

Indeferente a estes argumento, a CVCV invoca o regulamento: “À luz do artigo 3º número 4 da portaria nº50-A/88, de 2 de Novembro, que aprova o regulamento geral do Concurso do Totoloto Nacional, não lhe é imputada as responsabilidades pela não participação nos concursos das matrizes dos bilhetes que não deram entrada na sede do Totoloto Nacional no prazo estabelecido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.