Porto Novo: Professor detido por porte e ameaça de arma de fogo na via pública diz-se vítima de narrativa para manchar a sua imagem

11/01/2023 23:29 - Modificado em 11/01/2023 23:37
| Comentários fechados em Porto Novo: Professor detido por porte e ameaça de arma de fogo na via pública diz-se vítima de narrativa para manchar a sua imagem

O Diretor do Agrupamento Escolar número I de Porto Novo, Santo Antao, o Professor Atlermiro Correria, detido na passada sexta-feira, 06 de janeiro, por porte e ameaça com arma de fogo na via pública, na cidade do Porto Novo, acredita estar a ser vítima de uma narrativa criada com um único objetivo de manchar a sua imagem.

Na sequência do incidente, o Tribunal Judicial da Comarca do município, que lhe aplicou Termo de Identidade e Residência, TIR, e apresentação periódica no tribunal.

O professor, que é presidente da Associação dos Pescadores de Porto Novo, deu à cara e apresentou a sua versão dos factos.

O visado, negou ter feito ameaças na via pública com recurso à uma arma de fogo e diz-se vítima de uma narrativa para denegrir a sua imagem. É que conforme as suas declarações, tal não aconteceu como foi divulgado e confirmado por uma fonte da Policia do Porto Novo.

“O que aconteceu é que houve uma denúncia sobre a minha pessoa, dando conta que eu tinha uma arma de fogo em casa. Nisto o tribunal emitiu um mandato busca e no dia 06 regressando de casa no almoço, a PN disse que precisava falar comigo”, começou por esclarecer Atlermiro Correria a TCV.

Garantiu ter assumido perante as autoridades policiais a existência de uma arma de fogo em casa,
contudo, diz que alertou as autoridades que era uma arma com tambor sem munições e danificada. “E a segunda arma, que dizem que tenho, um brinquedo de plástico”.

Diz que esta é uma situação que está a causar-lhe muitos constrangimentos, primeiro pelo facto de ser um educador e também por ser dirigente da Associação dos Pescadores de Porto Novo, motivos pela qual resolver dar a cara e repor o seu “bom nome”.

Para este profissional, toda esta situação parece uma narrativa “embostada”, criada com único objetivo de denegrir e manchar a sua imagem. “Nunca briguei na rua, nunca participei em nenhum distúrbio, na via publica e nunca ameacei ninguém com arma de fogo”, atirou.

EC

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.