Morreu Bento XVI, o primeiro Papa emérito em quase 600 anos

31/12/2022 10:05 - Modificado em 31/12/2022 10:05
| Comentários fechados em Morreu Bento XVI, o primeiro Papa emérito em quase 600 anos

Pouco menos de dez anos depois de ter abdicado do cargo, o Papa emérito Bento XVI morreu este sábado, confirmou o Vaticano. Joseph Aloisius Ratzinger tinha 95 anos.

“Com pesar informo que o Papa Emérito Bento XVI faleceu hoje às 9h34 [8h34 em Lisboa], no Mosteiro Mater Ecclesiae, no Vaticano”, anunciou o Vaticano em comunicado, acrescentando que “assim que possível, serão enviadas novas informações”.

O corpo do Papa emérito estará, a partir da manhã de segunda-feira, dia 2 de janeiro, na Basílica de São Pedro “para que os fiéis se possam despedir”.

A sua morte surge depois de, no dia 28 de dezembro, o Papa Francisco ter pedido uma “oração especial” por Ratzinger, que estava “gravemente doente”.

Nascido na região da Bavaria, na Alemanha, em 1927, o bispo emérito de Roma (o cargo oficial dos Papas) encontrava-se doente e debilitado há vários anos, vivendo no mosteiro Mater Ecclesiae, na Cidade do Vaticano.

Desde 2020 que biógrafos e membros do clero descrevem o antigo Sumo Pontífice como racional, mas de discurso praticamente incoerente. O Papa Francisco revelou, no início de dezembro, que visitava regularmente o seu antecessor, garantindo que se mantinha consciente e com sentido de humor, mas admitindo que estava quase sempre em silêncio. Em agosto de 2022, numa das suas últimas aparições em público, Ratzinger foi visitado pelo Papa Francisco e por cardeais recentemente criados.

O testamento de Bento XVI já se encontra preparado há algum tempo e deve ser tornado público nos próximos dias. O Papa emérito revelou ao Vaticano que prefere ser sepultado no antigo túmulo do seu próprio antecessor, o Papa João Paulo II, cujos restos mortais estão numa capela no Vaticano, ao lado da escultura ‘Pietá’, de Miguel Ângelo.

Papado conservador manchado por casos de pedofilia

Em fevereiro de 2013, o então Papa Bento XVI chocou o mundo católico ao anunciar que iria abdicar, apenas oito anos depois de ter sido nomeado pelo Conclave de 2015, aos 78 anos. Na altura, o Papa emérito justificou a decisão por motivos de saúde.

A sua saída foi oficializada no dia 28 de fevereiro. Bento XVI foi o primeiro Papa a abdicar desde o Papa Gregório XII, em 1415. Fora o oitavo Papa de nacionalidade alemã.

Se o seu currículo como teólogo já evidenciava fortes visões conservadoras e tradicionais, o seu papado assistiu a uma consolidação dessas posições. Entre 2005 e 2013, Bento XVI teve um ‘mandato’ pautado por uma luta contra tentativas de inovar a Igreja Católica e contra ativismo social, especialmente numa altura em que o direito ao aborto cresceu exponencialmente pelo mundo inteiro (incluindo em Portugal, em 2007).

Mas o seu papado ficou essencialmente marcada pelo escândalo de abusos sexuais a menores levados a cabo por centenas de padres, em 2009, na Igreja Católica Irlandesa. Um relatório revelou que a Arquidiocese de Dublin promovia uma cultura de total encobrimento de casos de pedofilia, estimando-se que tenha existido um total de 15 mil vítimas entre os anos 70 e 90. O escândalo assumiu proporções semelhantes à do escândalo em Boston, em 2002.

Mais tarde, foi revelado que o Papa Bento XVI tinha afastado quase 400 padres, entre 2011 e 2012, por acusações de pedofilia.

O próprio Papa emérito esteve, este ano, no centro de uma nova controvérsia relativa a encobrimento de abusos sexuais na Igreja. Um relatório pela igreja alemã relevou que o então arcebispo Joseph Ratzinger ajudou a esconder quatro casos de pedofilia, que surgiram entre 1977 e 1982.

Noticias ao Minuto

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.