Cinco seleções africanas nos mundial de futebol: Senegal e Camarões carregam as maiores esperanças da África

21/11/2022 21:19 - Modificado em 21/11/2022 21:19

A Copa do Mundo, Qatar 2022 arrancou ontem, domingo, 20 de novembro, no Catar. A África tem cinco vagas na fase final desta competição de elite, que dura um mês. Camarões, Gana, Marrocos, Senegal e Tunísia garantiram suas vagas após uma competição preliminar de quatro equipes seguida de uma fase eliminatória.

Com cinco seleções no Catar 2022, o continente africano derruba uma marca histórica vinda do banco de reservas. O Senegal (grupo A), Tunísia (grupo D), Marrocos (grupo F), Camarões (grupo G) e Gana (grupo H).

E pela primeira vez, todas as equipes do continente têm treinadores locais, além de talentos que atuam em grandes times

Domínio europeu em plena Copa da África

Catar 2022 será a 22ª edição da Copa. Somada a próxima, que já tem a América do Norte como sede, ao todo, foram 23 escolhas de países sedes, onde apenas uma foi realizada na África. A Copa do Mundo de 2010, disputada na África do Sul. 

Por ser sede, o continente tinha direito a uma vaga extra. Seis seleções da região disputaram o torneio. Contudo, apenas a Argélia era comandada por um técnico do continente, o argelino Rabah Saadane. As anfitriãs foram dirigidas pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira. As demais seleções, Nigéria, Camarões, Gana e Costa do Marfim, foram comandadas por europeus.

Tunísia

A Tunísia faz sua sexta participação na Copa do Mundo, tendo participado em 1978, 1998, 2002, 2006 e 2018. As Águias de Cartago lideraram o grupo de qualificação da segunda fase. Na terceira rodada, onde os 10 vencedores dos grupos africanos se enfrentaram em março em partidas de ida e volta, a Tunísia superou Mali no total de gols. No período de qualificação houve ainda uma mudança de treinador, após a eliminação nas quartas de final da Copa das Nações Africanas de 2021.

O novo técnico Jalel Kadri guiou seu país no play-offWahbi Khazri foi o melhor goleador da Tunísia na fase de grupos e será um elemento importante para a Tunísia sobreviver às equipas repletas de estrelas do Grupo D (França, Austrália e Dinamarca). Será necessária uma grande reviravolta para que eles avancem para a segunda fase, dado o pedigree de seus adversários.

Gana

Gana faz um muito esperado retorno à Copa do Mundo, tendo se classificado anteriormente em 2006, 2010 e 2014. Em 2010, eles se tornaram a terceira seleção africana a chegar às quartas de final. O Black Stars garantiu sua passagem na fase final depois de liderar o Grupo G na segunda rodada da qualificação, derrotando África do Sul, Etiópia e Zimbábue para jogar um play-off na terceira fase contra os vencedores do Grupo C e rivais ferozes Nigéria, a quem derrotaram em uma partida dramática. Eles serão comandados pelo novo técnico e ex-jogador, Otto Addo, que estava no comando durante a vitória no play-off. Ele esteve na primeira participação de Gana na Copa do Mundo, em 2006. A seleção enfrentará Portugal, República da Coreia e Uruguai no Grupo H. A partida contra o Uruguai é uma lembrança dolorosa de uma “jogada de handebol” que evitou um gol ganês, levando à eliminação da seleção em 2010.

Gana aproveitou vários dos melhores jogadores com dupla nacionalidade nascidos no exterior para fortalecer o time. Há atletas de qualidade, mas também falta experiência internacional e coesão à equipe, dada a curta janela que antecede o torneio. A seleção vai girar em torno dos irmãos Ayew no ataque e de Thomas Partey no meio de campo. Embora esta equipe pareça bem em talentos individuais, construir um entendimento coletivo e coesão defensiva é um desafio que o treinador tem que enfrentar para ter alguma chance de avançar à segunda fase.

Marrocos

O Marrocos está voltando à Copa do Mundo depois de ter se saído mal na edição de 2018. Eles participaram em 1970, 1986, 1994, 1998 e 2018. A equipe deve buscar inspiração no time de 1986, quando lideraram seu grupo e foram o primeiro time africano a se classificar para a segunda fase. Treinado por Walid Regragui, o Marrocos venceu as seis partidas do grupo contra Guiné-Bissau, Guiné e Sudão, marcando 20 gols e sofrendo apenas um na fase de grupos das eliminatórias. Depois superaram a República Democrática do Congo na terceira fase.

Marrocos está no Grupo F e enfrentará Croácia, vice-campeã em 2018, Bélgica e Canadá. Marrocos pode contar com vários craques – como Hakim Ziyech , Achraf Hakimi , Romain Saïss e Yassine Bounou . Sua talentosa equipe enfrenta a Croácia em sua partida de abertura. É um jogo onde devem buscar pelo menos um ponto antes de enfrentar a bem cotada Bélgica, concluindo com uma vitória obrigatória contra o Canadá para ter chances de avançar para a segunda fase.

Camarões

Os Leões Indomáveis ​​de Camarões têm representado consistentemente a África na Copa do Mundo, aparecendo em 1982, 1990, 1994, 1998, 2002, 2010 e 2014. Eles eliminaram Moçambique, Malawi e Costa do Marfim antes de definir um playoff contra a Argélia, a quem eles venceram de forma sensacional com um gol aos 124 minutos. Sob o comando do lendário técnico Rigobert Song, que disputou quatro Copas do Mundo como jogador, Camarões chegará ao Catar com alguns talentos de alto nível espalhados pela Europa, como André-Frank Zambo AnguissaAndré Onana e Eric Maxim Choupo-Moting . Existem também várias estrelas em potencial na equipe.

A força de Camarões está em seu meio-campo sólido e ataque potente, com um estilo de jogo fisicamente imponente. Em 1990, Camarões se tornou o primeiro time africano a chegar às quartas de final. Este ano, eles enfrentam Brasil, Suíça e Sérvia. Bons resultados contra Sérvia e Suíça podem levá-los à segunda fase e ainda mais longe.

Senegal

O Senegal chocou o mundo do futebol quando derrotou a França na estreia na Copa do Mundo de 2002 e se classificou para as quartas de final, a segunda seleção africana a fazê-lo. Os Leões de Teranga devem estar ansiosos para disputar sua terceira Copa sob o comando do técnico Aliou Cissé, que foi o capitão da equipe em 2002. Em 2018, eles falharam em questões disciplinares. Espera-se que tenham aprendido com essa amarga experiência.

Campeão da Copa das Nações da África, o Senegal passou pela fase de grupos invicto para definir a vaga em um playoff com o rival Egito, que também foi o adversário na final da Copa das Nações da África. Em ambas as ocasiões, Sadio Mané marcou o pênalti da vitória em emocionantes disputas de penalidades. No Catar, eles tentarão pelo menos igualar a memorável exibição nas quartas de final de 2002. Classificado em 18º lugar no ranking mundial, o Senegal enfrenta Holanda, Catar e Equador em um grupo que não deve ter medo de um time forte e com boa experiência. A equipe conta com nomes como Édouard Mendy, o capitão Kalidou KoulibalyIdrissa GueyeIsmaïla Sarr e o atacante Mané.

brasildefato

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.