Associação dos Condutores de Táxis de São Vicente aponta o dedo a CMSV pela falta de mais Táxis na ilha

17/11/2022 00:03 - Modificado em 17/11/2022 00:03

Encontrar um táxi no Mindelo, São Vicente se tornou um desafio para muitos mindelenses que desejam chegar ao destino o mais rápido possível. Esperar vários minutos à beira da estrada ou em outro local, tornou-se um tormento para muitos. Solução mais credível, sugerem, é ter contactos de taxistas para facilitar as deslocações, mas mesmo assim, o tempo de espera continua sendo um problema.

Vários internautas mindelenses reagiram a uma publicação na rede social facebook, trazendo à tona vários episódios a volta da problemática do tempo de espera de um táxi na cidade e em arredores. “É difícil conseguir um táxi, a não ser por telefone, mas com muita espera”, disse um internauta.

Muitos comentaram que mesmo em dias de eventos, o problema continua e que muitos dos taxistas “colocam a cara para outro lado fingindo não ver pessoas a requisitar o serviço”.

Com a época festiva à porta, há quem acredite que “certamente irá piorar ainda mais”.

Alguns optam para contactos de taxistas dos dois periudos, de noite e de dia. “E como as coisas são e em alguns lugares onde é difícil haver muitos táxis, isto é uma valia e tanto”, escreveu um mindelense.

A linha Santo Antão/São Vicente e vice-versa, é a que concentra o maior número de passageiros e consequentemente há muita requisição de um transporte para levar ou buscar no cais. No entanto, os mindelenses só têm a lamentar. “Essa situação é visível no cais, que cheguei ao ponto de esperar por um autocarro”, comentou uma mindelense.

Há aqueles que também tentam não generalizar a situação e acreditar que nem todos os taxistas se comportam da mesma forma e que muitas das vezes negam corridas porque já têm outro compromisso.

Segundo comentou um taxista, o gasóleo está a 174$00 ainda as pessoas querem pagar um frete de 150$00 escudos. Querem que sejamos pontuais e não querem pagar o preço justo”.

Associação dos Condutores de Táxis de São Vicente promete agir junto de entidades para a resolução do problema

O presidente da Associação dos Condutores de Táxis de São Vicente, Jorge Da Graça Delgado, reagiu e afirmou que “a culpa efetivamente não é dos condutores”, mas acredita que quando se assume um compromisso via telefone com o cliente, a que se cumprir, como forma de evitar constrangimentos.

O mesmo avançou que desde 2004 não houve aumento do contingente de táxis na ilha. “Há muito tempo que estamos a trabalhar com a Câmara Municipal de São Vicente, mas o imbróglio aí existente está a prejudicar todos nós”, apontou.

Este líder esclareceu que a ilha tem cerca de 80.000 habitantes para somente 231 táxis licenciados pela CMSV.

“Fico satisfeito por ver utentes a falar do assunto, e isso prova que o serviço de táxi é uma necessidade, e vai ajudar-nos a convencer as autoridades com responsabilidade na matéria, no intuito de fazer um aumento controlado de táxis”, salientou.

AC – Estagiária

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.