JMN critica regressão nos transportes marítimos interilhas em Cabo Verde

3/11/2022 01:07 - Modificado em 3/11/2022 01:07
| Comentários fechados em JMN critica regressão nos transportes marítimos interilhas em Cabo Verde

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, criticou hoje a “regressão” que diz estar a existir nos transportes marítimos interilhas, afirmando que a situação “é grave” e lamentando que “ninguém assume as responsabilidades”.

“Num setor sensível, como é o caso dos transportes, não podemos continuar a regredir, sob pena de pôr em causa a competitividade da economia cabo-verdiana, o crescimento e a inserção de todas as ilhas no processo global de desenvolvimento”, afirmou José Maria Neves, questionado pelos jornalistas na Praia, depois de no sábado ter falhado a anunciada visita à ilha Brava devido à avaria do navio que assegura as ligações.

“O chefe de Estado é cabo-verdiano, é um cidadão cabo-verdiano, e isso mostra que temos de tomar medidas rapidamente para evitar a regressão”, disse.

O Presidente acrescentou que tem apelado no sentido de se ser inteligente nos processos de privatização e de se cuidar melhor da regulação: “Vejam que é preciso defender os interesses dos cidadãos, os interesses dos passageiros e dos clientes. Pessoas chegam a uma ilha, ficam bloqueadas nessa ilha dois, três, quatro dias sem saber quando é que poderão sair e depois ninguém assume as responsabilidades”.

A Presidência da República cabo-verdiana anunciou no sábado o cancelamento da visita de José Maria Neves à Brava, devido à avaria do navio que faz a ligação interilhas, deslocação em que o Presidente pretendia precisamente destacar o “isolamento” daquela ilha.

“Portanto, a situação é grave e deve interpelar as autoridades no sentido de serem tomadas medidas.

O Presidente da República tem que dar voz à ilha Brava e tem que dar voz aos empresários e aos cidadãos que se sentem profundamente lesados com esta situação”, disse ainda José Maria Neves.

O chefe de Estado, de acordo com uma nota anterior da Presidência, já se encontrava na ilha vizinha do Fogo quando foi “surpreendido com a informação da Cabo Verde Interilhas de que, afinal, não haverá mais a ligação, por avaria no navio que deveria assegurar a viagem”.

Lusa

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.