São Vicente/Pedra Rolada: A localidade cresce, mas o básico ainda nem todos têm acesso

21/10/2022 00:36 - Modificado em 21/10/2022 13:06
| Comentários fechados em São Vicente/Pedra Rolada: A localidade cresce, mas o básico ainda nem todos têm acesso

Os moradores que viram a zona de Pedra Rolada, em São Vicente, “evoluir” congratulam, mas ainda há muito para se fazer para que todos sejam dignos de uma vida melhor, pelo menos com o básico, desde o saneamento, água, iluminação pública, requalificação das ruas mais para o sul da zona, entre outros.

Maria Rodrigues é uma das primeiras moradoras de Pedra Rolada, ou seja, há 50 anos que esta localidade tem sido a sua casa. Outrora para dona Maria, era uma “zona diferente”, quase desértica (no sentido de que quase não havia casas). Os terrenos eram maioritariamente ocupados por árvores.

“Hoje podemos dizer que Pedra Rolanda é uma zona que tem vindo a cada dia a se desenvolver, através de construções de casas”, observou esta moradora que acrescentou que nem se ouvia falar de roubos ou violências nas ruas. Pois, o que se nota são situações que acontecem em um ou outro momento, e segundo a mesma, violências acontecem em todos os bairros e comunidades da ilha.

Para explicar o desenvolvimento de Pedra Rolada, esta moradora disse que a parte sul da localidade tem-se desenvolvido num ritmo mais lento com todos os problemas que se pode ter, enquanto que na parte norte a realidade é um pouco diferente onde há mais melhorias.

Calcetar para travar poeiras  e lamas

Uma parte de Pedra Rolada ainda carece de melhorias em ruas de acesso que dificultam a vida das pessoas. Para os moradores desta localidade, o principal problema que precisa ser resolvido é a questão do calcetamento das ruas.

Alegam que a zona é uma das mais ventosas e acabam por ter as casas sempre cheias de terra. E sem contar que algumas famílias sofreram com as últimas chuvas em setembro.

“Nas últimas chuvas, a minha casa ficou toda inundada. Tive perdas de mobílias, vestuários, eletrodomésticos, porque muita água e lama entraram dentro da minha casa”, avançou Cely Coronel.

Débora Andrade, acompanhada da sua vizinha, aproveitou para acrescentar que a iluminação pública em alguns pontos também tem sido um dos problemas, o que para a mesma é uma oportunidade para em algum momento alguém ser assaltado. Sem contar que alguns ainda nem ligação à rede de distribuição de água e de esgoto, têm.  

Relativamente ao lixo, Maria Rodrigues pediu a colaboração de todos os moradores para uma zona mais limpa, já que esta disse verificar o abandono do lixo em áreas proibidas, mesmo que haja contentores espalhados no local.

Espaço de lazer: ninguém viu

A falta de um espaço de lazer também foi apontado por todos os nossos entrevistados. Os jovens Yarine Gomes e Ney Leite, e a mãe apontaram que há essa necessidade de haver pelo menos uma placa desportiva para que os jovens possam se divertir, porque é melhor do que estar o dia todo sem ter algo de interessante para fazer”.

O que estes moradores sabem é que lhes foi prometido uma placa desportiva e que os trabalhos arrancaram mas o que verificaram é que aquilo nunca avançou e o local da sua localização foi abandonado por várias vezes.

AC – Estagiária


Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.