Preços em Cabo Verde voltaram a aumentar em setembro

14/10/2022 23:15 - Modificado em 14/10/2022 23:15
| Comentários fechados em Preços em Cabo Verde voltaram a aumentar em setembro

Os preços em Cabo Verde aumentaram 0,4% no mês de setembro e acumulam uma subida de 8,7% no espaço de um ano, indicam dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) de Cabo Verde.

De acordo com o mais recente Índice de Preços no Consumidor (IPC), elaborado pelo INE, esta variação mensal tem vindo a desacelerar, já que em setembro ficou 0,1 ponto percentual abaixo do registado em agosto, que então tinha ficado 0,7 pontos abaixo do verificado em julho.

“A taxa de variação homóloga do IPC total no mês de setembro de 2022, foi de 8,7%, valor superior em 0,1 ponto percentual ao registado no mês anterior “, lê-se no relatório do INE.

No mesmo período, o IPC registou ainda uma variação média dos últimos 12 meses de 7,1%, valor superior em 0,5 pontos percentuais ao verificado em agosto.

A escalada de preços em Cabo Verde deverá fechar 2022 com um aumento médio global de quase 8% e reduzir para menos de metade no próximo ano, segundo as previsões do Governo cabo-verdiano.

Nos documentos de suporte à proposta de lei do Orçamento do Estado para 2023, noticiados esta semana pela Lusa, o Governo cabo-verdiano admite que “os níveis de preços deverão permanecer elevados, acelerando de 1,9% em 2021 para 7,9% em 2022”, o valor mais alto em 25 anos.

“Já para 2023, espera-se que reduza para 4% [3,7%, segundo o detalhe da proposta], refletindo a redução da inflação importada dos principais parceiros comerciais de Cabo Verde”, lê-se no documento.

Acrescenta que as classes de bens e serviços “com mais intensidade no crescimento dos preços” em 2022 são os produtos alimentares e as bebidas não alcoólicas, “sendo um risco para a segurança alimentar, sobretudo para as famílias de menor rendimento”, bem como a habitação, a água, a eletricidade, o gás e os outros combustíveis e os transportes, “derivado sobretudo dos efeitos da inflação importada”.

“Nesta senda, o poder de compra dos agentes económicos, sobretudo dos mais vulneráveis, será altamente afetado, o que pode exigir uma maior intervenção do Estado para garantir o equilíbrio social”, admite o Governo, na proposta orçamental para 2023.

Antes dos efeitos da crise inflacionista atual e apesar da pandemia de covid-19, Cabo Verde registou uma taxa de inflação mínima histórica de 0,6% em 2020, e de 0,8% em 2017.

Na proposta do Orçamento do Estado de Cabo Verde para 2023 está prevista uma atualização do salário mínimo nacional, que passará de 13.000 para 14.000 escudos em 2023 e aumentos salariais de 1 a 3,5% para funcionários públicos e pensionistas com rendimentos mais baixos.

LUSA

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.