Vox pop/Recrutamento de Cabo-verdianos: “Trabalhar em Portugal? Nem pensava duas vezes”

6/10/2022 21:55 - Modificado em 6/10/2022 21:55
| Comentários fechados em Vox pop/Recrutamento de Cabo-verdianos: “Trabalhar em Portugal? Nem pensava duas vezes”

Alguns mindelenses se mostram abertos às novas oportunidades de emprego em qualquer paragem, desde que os salários sejam convidativos e a possibilidade de sair do país é uma chance para também conhecer outros países, outras realidades.

Para alguns, os filhos são o grande motivo para não partir de qualquer jeito. E para outro não há muito que pensar.

A vontade de emigrar do cabo-verdiano é coisa de longa data, e uma das principais causas para se retirar tem que ver essencialmente com questões económicas, com o maior desejo de poder todos os meses enviar algum dinheiro para os familiares e/ou para outros fins.

Nos últimos anos Cabo Verde tem sido fustigado pela pandemia, pelas secas frequentes resultantes da irregularidade e/ou escassez de chuvas, para além da recente guerra na Ucrânia que tem tido impacto negativo no país e no mundo, tornando a vida de muitas pessoas difícil.

O NN voltou mais uma vez às ruas para ouvir as pessoas sobre a questão: Aceitarias qualquer oportunidade de trabalho fora do país? Porquê?

Segundo Melissa Almeida, de 22 anos, nem era preciso questionar. “Ainda não tenho filhos, não tenho nenhuma responsabilidade que me impediria de realizar tal desejo”, expressou.

E para quem essa saída daria bom jeito na área da cozinha, é o cidadão António Gomes, de 59 anos que é cozinheiro. “Logo que eu encontrar uma chance, vou. Neste momento, estou a tratar de toda a documentação para ver se me calha a sorte”, disse.

Aos 27 anos, Kevin Chantre saía à procura de uma vida melhor e segundo o mesmo, “a vida é feita de riscos”.

Para além de Kevin, Helia Jesus de 21 anos também não tem filhos e isso torna a sua mobilidade mais facil. “Eu ia sim e sem pensar duas vezes. Seria trabalhar para ter uma vida melhor, obter minhas coisas. Neste momento acho que todos querem uma vida melhor”, opinou.

Andira Rodrigues já está no 4º ano de licenciatura, e por enquanto disse não optar por esta saída. “Mas se eu não estivesse a estudar e não tivesse emprego e houvesse uma oportunidade, eu ia sim”, comentou a jovem que acrescentou ainda que também é uma oportunidade de ajudar os familiares a obterem um trabalho nas terras estrangeiras.  

Para quem os filhos ainda são pequenos e dependem de uma mãe por perto, há muito que ponderar. Um comentário que é partilhado pelas mães Carla Gomes de 36 anos e Deusalinda Silva de 33 anos.

“Às vezes não queremos emigrar, por causa dos filhos, mas por uma vida melhor para mim e para meus filhos, eu aceitava. Mesmo com um salário, infelizmente aqui não se consegue perspectivar uma vida melhor”, partilhou.

Deixar os filhos de um momento para outro não seria a melhor opção para Deusalinda Silva, mas se fosse algo para daqui mais algum tempo não hesitaria, num tempo em que o salário é uma “miséria” e não dá para muita coisa.

“Eu aceitaria desde que fosse um emprego fixo, bom salário e que não houvesse exploração”, disse esta mãe que deixou transparecer o desejo de ter casa própria, livrando-se assim de ter que pagar renda todos os meses.  

De recordar que a sede da OMCV em São Vicente durante vários dias foi procurada por várias pessoas a fim de conseguirem uma oportunidade para trabalhar em Portugal.

Nesta  quinta-feira a presidente da OMCV avançou à rádio pública que os candidatos a empregos em Portugal e Espanha inscritos  nesta  sede estão longe de preencher os requisitos exigidos e são mais de metade.

E na última terça-feira, uma delegação portuguesa da Auto Viação Feirense esteve na cidade da Praia para recrutar 40 condutores com experiência em veículos pesados de passageiros a fim de trabalharem em transportes coletivos de passageiros nas cidades de Lisboa e Porto.

No entanto, esta delegação foi surpreendida por centenas de condutores habilitados com a carta de condução da categoria D.  A Auto Viação Feirense prometeu todas as regalias vigentes na empresa para quem for selecionado.

AC – Estagiária  

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.