Dino d’Santiago abençoado em dobro: premiado nos CVMA em Cabo Verde e nos Globos de Ouro em Portugal

3/10/2022 15:52 - Modificado em 3/10/2022 15:53
| Comentários fechados em Dino d’Santiago abençoado em dobro: premiado nos CVMA em Cabo Verde e nos Globos de Ouro em Portugal

Em dois dias o artista de ascendência cabo-verdiana, Dino D’Santigo levou dois grandes prémios da música. Um primeiro na XI edição dos CVMA no passado sábado na cidade da Praia, com a melhor música tradicional, e em Portugal foi galardoado com o premio de melhor interprete na gala dos Globos de Ouro.

“Mas o meu coração ainda não desceu á terra depois de ontem ter recebido, na Ilha de Santiago um CVMA, Cabo Verde Music Awards com a canção “voei de mim”, na categoria de melhor música tradicional de Cabo Verde”, afirmou o artista em reacção ao prémio atribuído em Cabo Verde.

“Voei de mim”é uma canção, em que divido a autoria com o Mago princezito, fala sobre a questão da Saúde Mental, e Dino explicou numa publicação que “por fazermos parte de uma sociedade onde o “Eu” egoico tantas vezes fala mais alto do que o verdadeiro EU. Afastando-nos assim da nossa própria essência”.

Dino d’Santiago também foi o grande vencedor do Globo de Ouro de Melhor Intérprete, um prémio que recebeu na noite de domingo, dia 2 de outubro, na gala que decorre no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Conforme a imprensa portuguesa, o músico aproveitou para falar de uma visita recente à escola que frequentou no Algarve e do facto de aquela região do país registar números elevados de abandono e insucesso escolar. Para ajudar a combater esses fenómenos, Dino D’Santiago irá apadrinhar um projeto de nome SIC – Sucesso, Inclusão e Cidadania, baseado na “educação subjetiva”.

De raízes cabo-verdianas, o músico e compositor Claudino Pereira nasceu em Quarteira, no Algarve. Os seus pais são originários da Ilha de Santiago, terra que homenageou com a escolha do nome artístico. Com uma carreira de quase 20 anos, Dino foi distinguido pela Câmara de Loulé no ano passado com a Medalha de Mérito – Grau de Ouro.

Começou por chamar atenções em 2003 quando participou no concurso de talentos da RTP “Operação Triunfo”, tendo-se depois dedicado a estilos como o R&B e o hip-hop, com algumas participações em grupos como Expensive Soul ou Nu Soul Family.

Lançou-se a solo em 2008 com, “Eu e os Meus”, ao qual se seguiu “Eva”, em 2013. É também autor de trabalhos como “Mundu Nôbu”, “Sotavento” e, mais recentemente, “Kriola”, lançado em 2020. Em 2021 fez uma participação no Festival da Canção, onde interpretou “Os Putos”, em homenagem a Carlos do Carmo.

AC

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.