“Calhau precisa de outro olhar das autoridades” – Moradores

25/09/2022 23:59 - Modificado em 6/10/2022 10:02
| Comentários fechados em “Calhau precisa de outro olhar das autoridades” – Moradores

A população de Calhau, São Vicente, continua a reclamar da falta de iluminação pública. Uma luta antiga da população, que tem causado vários constrangimentos. A escuridão impede diversas atividades de lazer, mas também causa insegurança, conforme os moradores da zona.

“Aqui praticamente não temos iluminação pública. Não temos iluminação na estrada e perto das casas não tem iluminação. Aqui no Calhau vivemos na escuridão total. Já foi feita reclamação direta, mas nunca nada foi resolvido. É uma reivindicação de toda a população e continua na mesma”, denunciou o Pedro Moura, morador da zona.

“Aqui é uma zona, que transitamos com o carro, uma escuridão total. Muitas pessoas que trabalham na agricultura, muitas vezes terminam o trabalho no final do dia. E até chegar em casa já escureceu. E acaba por criar uma insegurança”, refere este porta-voz dos moradores que diz ainda que atravessar a estrada acaba por ser perigoso, já que tem algum movimento de carro à noite.

O problema é antigo, mas a reivindicação parece que não vai ficar por aqui. É que a ideia, agora, é sempre que um morador deslocar a Electra para pagar a conta de luz e água, vão fazer uma reclamação e assim, todos os meses até que seja dada a devida a esta problemática. 

Reclamam ainda da Santina pública, que dizem ser antiga e com vários problemas, o que deixa apreensiva parte da população que não pode pagar por um carro de água e que dependem do local para se abastecerem e apontam o dedo a Câmara Municipal de São Vicente e a Electra.

Conforme relatado pelos moradores locais, os postes existem, mas a iluminação pública é um “desastre”. Dizem que há energia fornecida à localidade, todavia chega em péssimas condições. “É notória a falta de iluminação pública. Há vários anos que convivemos com este problema aqui”, conta Pedro Moura, que reside no local e assegura que conviveu sempre  com o problema, não obstante, as reclamações dos moradores

Pedro Moura reconhece haver um investimento para que a localidade pudesse ter energia elétrica, mas este não funciona como deve ser. “É um problema crónico. Porque o investimento foi feito, mas está inoperacional”, explica este morador que acrescenta ainda que se têm luz um dia na rua, no outro já não têm.

“Chamamos a Electra, mandam um carro, resolvem o problema e dois dias depois, temos o mesmo problema. E estamoa acostumados a ficar vários dias sem iluminação pública”, denuncia.

Neste sentido, defende que a Electra deveria fazer uma análise ao número de carros que vai ao calhau ver se é rentável, porque sem para a população, assegura que não é viável e não funciona.”De noite, que precisamos de luz, é quase impossível ver o trânsito e pessoas na via, contribuindo para o risco de acidentes, bem como para a insegurança que paira sobre os moradores.

“Incomoda-nos porque uma boa iluminação pública dá uma certa segurança e estabilidade à noite para as pessoas. Mas aqui no Calhau o cidadão é tratado como alguém de terceira”.

E questionam onde estão os seus direitos, como o empresário Nelson Atanásio, que subscreve a estas reivindicações e afirma que tem razões de ser. “Pagamos uma taxa de iluminação pública. E, além disso, a zona do Calhau assume uma certa importância com muita gente que faz do local  de residência”.

Por isso, quando diz isso, mostra que a população tem crescido de dia para dia e que a zona, nos últimos anos, tem recebido vários investimentos. Com efeito defendem ser preciso outra vista para esta vila. “Quer em urbanização, como de construção de infraestruturas”.

Aágua no Calhau é do pior. Não há um plano e uma rede digna de água no Calhau. As pessoas vivem de um chafariz antigo, cheio de rachaduras e se acontecer algo com o reabastecimento de água, as coisas podem complicar para esta localidade e para os moradores que não tem condições de pagar, quase 8 mil escudos para um autotanque.

A localidade é uma vila com uma estrada principal bem traçada, mas que carece de outros. “Não estamos bem”, salientou Pedro Moura, que diz que o problema, a nível e iluminação pública não são as infraestruturas, já que estas existem, mas sim a incapacidade de resolver o problema.“

Existe sim uma falta de capacidade técnica para solucionar um problema que há anos se arrasta e não se soluciona. Existe uma ligação à zona, mas ela não funciona”.

Segundo o morador “iluminação é algo básico hoje em dia que garante a segurança e melhores condições de vida para a população e nota-se que o poder executivo não está a atender essas localidades e tantas outras ao redor da cidade”, afirma.

“Já falámos bastante e estamos cansados. A única coisa que tenho a dizer é que tem que se resolver este assunto porque não sabemos o que fazer”.  

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.