São Vicente: Utaga espera ver aumentada o fornecimento de leite para retoma de uma boa produção de queijo

25/09/2022 22:18 - Modificado em 25/09/2022 22:18
| Comentários fechados em São Vicente: Utaga espera ver aumentada o fornecimento de leite para retoma de uma boa produção de queijo

A Unidade de Transformação Agroalimentar ( UTAGA) de Ribeira de Calhau, São Vicente, gerida por mulheres, espera brevemente começar a ter mais fornecedores de leite de cabra e consequentemente produzir mais queijos.

É que a produção de queijo da Utaga caiu drasticamente desde a pandemia, mas as quatro mulheres que têm insistido na funcionalidade da unidade acreditam que a produção pode melhorar daqui a mais algum tempo, caso o número de fornecedores de leite de cabra aumente.

“Ainda continuamos com somente dois fornecedores mas o leite disponibilizado aumentou um pouco. Espero que de agora em diante consigamos ter mais fornecedores para que possamos ter um aumento positivo”, disse a sócio-gerente da Utaga, Ana Silveira.

A responsável explicou que essa diminuição se deveu a desistência de criadores que antes das ultimas chuvas tiveram que desfazer dos seus animais, visto que muitos sofreram pela falta de pasto, o preço da ração que aumentou, daí manter somente dois fornecedores.

No entanto, adiantou que nos últimos tempos a quantidade de leite disponibilizado pelos fornecedores aumentou, passando de 15 litros de leite para 22 no máximo.

“Esperamos que apareça mais fornecedores e que a quantidade de queijo produzido aumente, já que neste momento produzimos por dia até 17 queijos. Quantidade que consideramos insuficiente”, lamentou Silveira que acrescentou ainda que o preço do queijo aumentou um pouco, passando de 150 para 160$00.

Apesar da pouca produção, continuaram a manter postos de trabalho adotando estratégias para que as estas mulheres garantem a ter seus rendimentos. “A ideia é ter mais mão-de-obra futuramente mas por enquanto seremos nós”, acrescentou.

A Utaga produz doces e pastas com produtos agrícolas local, mas infelizmente tem no momento, devido as últimas chuvas que paralisou alguma produção vegetais, têm ficado somente na produção de queijo.

Sem nenhum apoio, esta unidade tem funcionado somente com aquilo que arrecada com a venda dos seus produtos. 

Ana Silveira espera bons resultados de produção para daqui mais um tempo, ja que a unidade depende totalmente da agricultura e da pecuária para dar continuidade a sua produção.

Recorde-se que antes da pandemia compravam entre 90 a 100 litros de leite por dia, que dava para fazer mais ou menos 69 queijos, agora conseguem comprar 31 litros que resulta em 20 a 24 queijos, e 1 litro de leite custa 80$00.

Com a sua instalação a funcionar desde 2013 em Ribeira de Calhau, a UTAGA está a ser dirigida por 4 mães de famílias responsáveis pela produção do queijo e de doce de papaia.

Quando não se falava de pandemia e outros constrangimentos, a unidade produzia também picles, chás, temperos secos (desidratados) e pastas diversas, nomeadamente de beringela, coentro, cenoura, pimentão, alho. Contudo, devido á saturação do mercado, foram obrigadas a selecionar os produtos com mais procura.

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.