São Vicente: 61 motoristas rumam para Portugal à procura de melhores condições de vida

22/09/2022 23:57 - Modificado em 23/09/2022 17:29

Os motoristas contratados pela empresa portuguesa Alsa Todi para garantir serviço na Península de Setúbal, embarcam este fim-de-semana, entre sexta-feira a domingo (23 a 25) para Portugal, à procura de melhores condições de vida. Quatro residem na localidade de Calhau.

São oriundos e residentes na ilha de São Vicente, onde a empresa esteve recentemente a recrutar profissionais e a formá-los para que pudessem integrar as linhas da empresa, que assegura os transportes públicos rodoviários ao serviço Carris Metropolitana.

Para a empresa a contratação destes profissionais serve para suprir a alegada “falta geral de mão-de-obra” em Portugal e para os profissionais contratados vão à procura de “melhores condições de vida, melhor salário, maior qualidade de vida, mais segurança”.

Paulo Dias, Lenine, entre outros, integram esta comitiva que parte. “Fica a saudade, mas o desejo de conseguir algo melhor, e de acreditar que podemos conseguir mais para a nossa família fala mais alto”.

Dizem que o sentimento de querer ficar e ir diverge. “Muitos almejam sair do país. Ir viver noutro país, porque as coisas estão cada dia mais difícil”, e por outro lado, os que vão pela aventura. “Vamos pelas oportunidades, mas também pelo desejo de sair de Cabo Verde”.

Asseguram que o contrato já está pronto e as linhas decididas, contudo não avançam qual vai ser o vencimento prometido. “É melhor que aquilo que recebemos aqui”, garantem.

A triste verdade é que a saída destes profissionais, embora procuram melhores condições de vida, pode deixar a ilha desfalcada em termos de motoristas e a maioria destes profissionais revelam que dificilmente vão regressar ao país.

Com os vistos emitidos pelas autoridades portuguesas para entrarem de imediato ao serviço, revelou nesta quinta-feira a transportadora rodoviária da Península de Setúbal, os motoristas já podem viajar para integrar a equipa de profissionais da empresa e preencher a falta geral de mão-de-obra.

A empresa assegura os transportes públicos rodoviários nos concelhos de Setúbal, Moita, Montijo, Alcochete, Palmela e Barreiro, na área 4 do serviço Carris Metropolitana.

De acordo com a Alsa Todi, citado pela Inforpress, o recrutamento de motoristas em Cabo Verde, com uma “média de idades próxima dos 35 anos”, teve a colaboração de parceiros locais e foi “acompanhado por responsáveis da empresa, que garantiram a aptidão para o exercício de funções com os standards da empresa, num processo formativo que continuará nos próximos dias em Portugal”.

A Alsa Todi adiantou ainda que os novos motoristas têm acordo escrito com a transportadora e apoio da empresa para se instalarem em Portugal, “através de medidas de financiamento da formação, despesas de deslocação e habitação”.

Os novos motoristas, garante a Alsa Todi, já estão vinculados ao novo Acordo de Empresa, que estabeleceu “melhorias das condições de trabalho para estas funções, assim como folgas rotativas, seguro de saúde e prémios de assiduidade”.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.