São Vicente: Atlético do Mindelo sagra-se bicampeão nacional de andebol sénior feminino

24/08/2022 13:38 - Modificado em 24/08/2022 13:38
| Comentários fechados em São Vicente: Atlético do Mindelo sagra-se bicampeão nacional de andebol sénior feminino

O Atlético do Mindelo sagrou-se bicampeão nacional de andebol sénior feminino ao derrotar a equipa do Amarante por 21-18, no jogo da final que decorreu na noite de terça-feira, 23, no Polidesportivo de Oeiras, em São Vicente.

O jogo que colocou as duas equipas sanvicentinas em campo foi considerado electrizante dada a força que as formações demostravam tanto em campo como nas bancadas de onde vinham os gritos de apoio das respectivas claques, que lotaram as bancadas do polidesportivo.

A vitória do Atlético frente ao Amarante não se revelou tarefa fácil, pois ao intervalo o Atlético vencia por 12-8, resultado que espelhava um certo equilíbrio na partida, mas com um ligeiro pendor para o Atlético.

Na segunda parte, o Atlético entrou mais determinado e logo elevou a vantagem sobre o Amarante para 15-10, mas minutos mais tarde o Amarante reduziu para 13-16.

E foi este o tom do jogo, ora o Atlético aumentava a vantagem, ora o Amarante reduzia a diferença de golos, mas, no final, o Atlético conseguiu dilatar a vantagem para três golos e fixar uma vitória de 21-18 sobre o Amarante.

Depois de receber a taça e de festejar com as atletas, o treinador do Atlético, Aquilino Fortes, disse que estava a transbordar de alegria porque sabia que os jogos não eram fáceis, mas que a equipa tentou preparar-se da melhor forma para tentar revalidar o título.

“Foi um jogo difícil, mas sabia que tínhamos uma equipa curta, não poderia dizer que eramos favoritos, mas disse que íamos trabalhar até ao fim para deixar o título em São Vicente”, destacou o treinador revelando o seu “sentimento de gratidão”, pelos patrocinadores que apostaram na equipa.

O treinador do Amarante, Domingos Voz, por seu lado, considerou que a sua equipa fez uma “grande prova” apesar de ter “falhado nalgumas coisas” e de não ter conseguido atingir o objectivo que era conquistar a taça de campeão de Cabo Verde.

“Lutamos, lutamos, lutamos, mas não deu. Falhamos mais do que eles, tivemos falhas nos livros de quatro e sete metros e nas bolas isoladas com o guarda-redes e acabamos por perder por três bolas. Parabenizo a equipa do Atlético que é um justo campeão. Não deu vamos trabalhar para o outro ano para ver se conseguimos”, afirmou o técnico.

O presidente da Associação Regional de Andebol de São Vicente, Luís Fortes, disse que se sente feliz por ter conseguido presentear São Vicente com um espetáculo desse tipo, através destas atletas, dirigentes e todos os agentes desportivos que chegaram no fim da prova “com sucesso”.

Pelo que, sustentou, de uma forma geral “o trabalho foi bom”.

Porque os jogos tiveram sempre casa cheia o responsável reforçou o apelo às entidades no sentido de dotar São Vicente de uma infra-estrutura capaz de receber provas desta envergadura.

“Nas meias-finais tivemos que fechar as portas e parar de vender bilhetes antes do último jogo. Hoje, tivemos que parar porque as pessoas começaram a comprar bilhetes logo cedo para poderem ver o jogo. Isso quer dizer que o andebol tem um grande número de adeptos em São Vicente e por isso continuamos a dizer que é preciso dotar a ilha de uma infraestrutura que ele merece”, acrescentou.

A organização distribuiu ainda prémios individuais para Marilene Reis, do Amarante, como melhor marcadora da prova, Célia Oliveira, do Atlético, a melhor guarda-redes, e Letícia Delgado, também do Atlético, melhor jogadora.

O ABC, representante de Santiago Sul, classificou-se no 3º lugar ao derrotar a equipa do Palmeiras, do Sal, por 47-23, no jogo que antecedeu a final.

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.