Natasha Wahnon: Quando o amor pelo futebol fala mais alto

21/08/2022 23:36 - Modificado em 21/08/2022 23:36
| Comentários fechados em Natasha Wahnon: Quando o amor pelo futebol fala mais alto


Natasha Luana Maniche Silva Wahnon, carinhosamente conhecida por “Sasha”, de 25 anos, tem um percurso na modalidade de futebol feminino, principalmente na sua ilha natal, São Vicente. Atua em campo nas posições de avançado e na posição 10.Recentemente Sasha Wahnon assinou contrato com uma equipa feminina portuguesa – Amora FC -, afirmando ser um objetivo atingido.

O interesse de Sasha pelo futebol surgiu nos primeiros anos de vida. Ainda criança, ela gostava de jogar com rapazes, e só terminava as suas partidas quando a mãe já dava sinais para voltar para casa.
Era a única menina no grupo, e numa época em que a participação de mulheres no futebol não era levada muito a sério. 

“Sempre foi apoiada por amigos, familiares, treinadores, colegas de equipa e especialmente pela minha mãe que desde criança me incentivou a praticar esta modalidade. Sem ela, eu nunca chegaria onde estou hoje”, contou a atleta.

No entanto, a vida desta menina da bola não ficou somente por cá. Licenciada em Ciências Biomédicas e actualmente a residir em Portugal desde Março deste ano. Devido às suas habilidades com a bola, a jovem em pouco tempo conseguiu singrar no futebol português, através de uma amiga que lhe ajudou a entrar para a equipa de Amora FC.

Após alguns treinos com a nova equipa foi-lhe visível a satisfação dos dirigentes da equipa que decidiram dar-lhe um sim às suas habilidades. “No início, eu ficava muito ansiosa porque não sabia se estava a gostar do meu trabalho. Depois que fui abordada pelos dirigentes dizendo que ficaram satisfeitos, eu fiquei super feliz”, expressou que falou ainda em uma “sensação incrível”. 

A mesma diz ter ficado com a “sensação de dever cumprido” porque era este o meu principal objetivo que “era trazer o meu futebol para Europa”, mesmo sabendo que o nível de exigência é muito mais elevado. 

“Marcar muitos golos, fazer sempre excelentes jogos, impressionar os adeptos”, é esta a ideia desta jovem cabo-verdiana. “Há objetivos coletivos e individuais que é ajudar a equipa a chegar o mais longe possível na Taça de Portugal, taça da liga, além dos torneios que vão surgindo”, acrescentou.

Questionada sobre prioridades, respondeu que apesar de estar a fazer o mestrado, neste momento diz estar mais focada no futebol e querer viver este “momento especial”. Assim que terminar o mestrado decide quando regressar a Cabo Verde. 

Por isso, disse, nesta fase está a fazer o possível para conciliar as suas atividades de forma a aproveitar este momento da sua vida, fazendo o que mais gosta: Jogar bola.

Passagem por outros clubes

Natasha Wahnon iniciou na escola de futebol Carlos Alhinho. De seguida começou a fazer parte da equipa Atlantic que era uma equipa da própria zona onde jogava com os rapazes. Ainda nova já pertencia a uma equipa sénior e mais tarde fez parte do plantel de Benz Taxi onde durante 4 anos, se sagrou campeã da ilha chegando assim a competição nacional.

De seguida chegou o momento de fazer a licenciatura em Biomedicina no Brasil, mas o futebol não parou. 

Já participou de vários torneios pelos quais ganhou vários troféus e títulos. Ganhou a primeira copa de futsal feminino de São Vicente realizado no início do mês de Maio, tendo recebido prêmios de melhor em campo, melhor marcadora e melhor jogadora do torneio.

Em Portugal participou no torneio da TAP realizado em Caldas da Rainha em que o Mindelense esteve presente e Sasha recebeu o troféu de melhor jogadora do Torneio. 

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.