Festival Baía das Gatas: Loony Johnson disse ter reunido todas as forças para conseguir levar o público ao rubro

14/08/2022 15:21 - Modificado em 14/08/2022 15:21
| Comentários fechados em Festival Baía das Gatas: Loony Johnson disse ter reunido todas as forças para conseguir levar o público ao rubro

Com cerca de pouco mais de uma hora de atuação, o artista Loony Johnson conseguiu levar o público da 38ª edição do Festival Baía das Gatas ao delírio com algumas das suas inéditas músicas que estavam “afiadas” na boca do público.

Nas primeiras horas de domingo a tão aguardada atuação de um dos artistas mais queridos dos cabo verdianos foi muito bem-recebido por todos que estiveram presentes no areal da Baía das Gatas

Os inéditos “Mata tudo”, “Terra Sabe”, “Undi Da Ki Panha”, “Vai Vai”, “Homi Grandi”, “Da Kel Bu Toki” e “Bo É Dod Na Mim”, foram sem sombra de dúvida os gatilhos para fazer valer a presença do público que o acompanhou ao som dos instrumentos musicais. “Fla La Nos É Kenha”, encerrou a sua atuação no segundo dia do evento.

Apesar da perda do pai no ano passado, Loony foi resgatar forças onde foi possível conseguir fazer vibrar o público. “Acho que força veio do meu pai, porque antes de ele partir ele me deu muita confiança e mostrou-se orgulhoso daquilo que faço. Foi muito difícil para mim a sua perda em 2021”, contou em declarações à imprensa.

Sublinhou ainda que o cansaço e todo o esforço feito há um mês é para se conseguir apresentar um bom show resultou numa “incrível” a recepção por parte do público. “os sanvincentinos é um povo incrível. O público dessa ilha está no meu coração”, afirmou Loony Johnson acrescentando que cada atuação em São Vicente, independentemente de qual seja o evento, é sempre algo “vibrante”. 

Relativamente aos outros artistas, Ary Kueka um estreante deste festival considerou “espetacular” essa sua primeira atuação neste que é um dos grandes eventos musicais do país. “Eu estava um pouco receoso, mas correu bem, pois eu estava bem acompanhado. Agora vou trabalhar para voltar mais vezes a este evento”, disse ao NN.

Já Ceuzany, repetente neste palco do Festival da Baía das Gatas, disse ser recebida com “muito amor e carinho” pelos sanvincentinos e essa receção a deixou “muito satisfeita”, após uma paragem de dois anos. “Todos nós já estávamos com muitas saudades deste festival. As pessoas estão a conviver muito bem e estão a aproveitar este momento. Isso é muito importante”, disse a artista que garantiu que vai voltar no próximo ano.

O segundo dia também ficou marcado pela atuação do trio (Gai Dias, Anisio Rodrigues e Constantino Cardoso) que trouxe um ambiente de carnaval durante duas horas de muita folia. No entanto, um episodio constrangedor mostrou uma certa insatisfação do trio que teve o som desligado pelo técnico, enquanto estes prestavam homenagem ao artista Vlú que se encontra com problemas de saúde.

Apesar de tudo, conforme o artista Gai Dias o público vibrou com as suas músicas, nas quais foram composições do próprio artista em que um foi feito em homenagem a Vlú. “São músicas novas e fiquei muito satisfeito por ver que o público vibrou com os meus recentes trabalhos. Foi um momento inesquecível”, sublinhou.

Neste domingo,  estão previstas as atuações de Edwin Vibez, Gillo, Tiago Silva, Hilár e Dieg, para além da dupla de cantores santomenses Calema, do cantor Djodje e da banda de reggae Morgan Heritage, que vai encerrar o festival da baía das gatas 2022.

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.